Doria: não há caminho para desenvolver continente que não seja política liberal

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), usou seu discurso durante a abertura do Fórum Econômico Mundial sobre a…


O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), usou seu discurso durante a abertura do Fórum Econômico Mundial sobre a América Latina, na capital paulista, para promover sua pré-candidatura ao governo do Estado e a pré-candidatura do governador Geraldo Alckmin à Presidência da República. Ele disse ainda que o único caminho para os países da região crescerem são governos liberais, e não ditaduras.

Ao cumprimentar o presidente Michel Temer e o governador paulista, Doria disse à plateia que todos estavam diante do “atual presidente da República e do futuro presidente da República Federativa do Brasil”.

A reação de Alckmin foi sorrir com o agrado, já Temer não expressou reação. Doria também disse que o emedebista foi protagonista de fazer o Brasil “voltar ao jogo” da atração de investimentos.

Doria também cumprimentou seu vice, Bruno Covas, citando-o como “o futuro prefeito da cidade de São Paulo, o mais jovem prefeito que essa cidade terá na sua história”. Em abril, se Doria sair do cargo para entrar na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes, Covas assume o Executivo municipal.

O prefeito também aproveitou para afagar o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes (PSDB), que foi um dos apoiadores no partido à sua pré-candidatura em São Paulo. Doria cumprimentou o ministro como aquele que está “escrevendo uma nova página” na política dos países latino-americanos.

‘Governos liberais’

A exemplo do que disse na terça-feira durante conferência de imprensa, Doria afirmou que não há mais espaço para ditaduras na América Latina, “nem de direita nem de esquerda”. “Há espaço para governos liberais que acreditam na democracia com desenvolvimento econômico”, declarou. Ele pediu que os presentes no evento aproveitem a estadia na cidade para promover negócios.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!