Demanda por produtos químicos cai 7,3% em 2019, diz Abiquim


A demanda nacional por produtos químicos de uso industrial, medida pelo consumo aparente nacional (CAN), encolheu 7,3% em 2019, segundo dados consolidados divulgados nesta segunda-feira. 9, pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). O desempenho marca a segunda queda anual consecutiva, visto que em 2018 o consumo recuou 1,4%, após ter crescido no biênio 2016-2017.

Na mesma direção, a produção diminuiu 5,74% no ano passado e 4,23% em 2018, enquanto as vendas internas caíram 1,81% no ano passado, após declínio de 0,9% em 2018, acrescenta a entidade.

Em nota, Fátima Giovanna Coviello Ferreira, diretora de Economia e Estatística da Abiquim, cita a desaceleração econômica interna ao longo do ano, impactos da guerra comercial entre Estados Unidos e China e a instabilidade em alguns países da América do Sul entre os principais motivos para essa retração.

A entidade destaca ainda outros dois recordes históricos atingidos no período: os produtos importados responderam por 43% da demanda interna e o uso da capacidade instalada do setor ficou em apenas 70%, o que resultou na ociosidade recorde de 30%.

Reação

Em janeiro, a produção de químicos caiu 4,72% ante o mesmo mês do ano anterior, mas cresceu 8,80% ante dezembro.

Em relação ao índice de vendas internas foi registrado crescimento de 4,64% no comparativo anual e de 19,24% sobre dezembro. Já a utilização da capacidade instalada aumentou um pouco em relação à média de 2019 e fechou em 74%.

Sobre os próximos meses, Fátima pondera que ainda não se sabe qual será o impacto do coronavírus sobre o setor, especialmente entre março e abril.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora