Caixa prevê impacto anual de R$ 300 mi com FGTS e PIS-Pasep

Presidente da Caixa diz que os 106 milhões de brasileiros que terão acesso aos saques poderão não só consumir como também quitar dívidas


O presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães afirmou que o pagamento dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e Fundo PIS-Pasep gerará um impacto de cerca de R$ 300 milhões em receitas anuais que o banco teria com a gestão dos mais de R$ 30 bilhões que serão liberados com a medida. O banco recebe 1% pela administração dos fundos.

“A economia melhorando é o que ajuda o resultado da Caixa. Esse resultado de R$ 300 milhões é muito pequeno perto do lucro do banco”, disse ele, em entrevista à rádio CBN nesta sexta-feira.

Segundo ele, os 106 milhões de brasileiros – 96 milhões do FGTS e 10,4 milhões do PIS – que terão acesso aos saques do FGTS e PIS-Pasep poderão não só consumir como também quitar dívidas, o que contribui para a melhora da economia.

“É isso que importa”, resumiu Guimarães, acrescentando que a própria Caixa terá um leque de produtos para oferecer aos cidadãos.

O cronograma detalhado do pagamento do FGTS será feito, segundo ele, na segunda-feira. No entanto, o presidente da Caixa garantiu que o banco já está preparado em termos de infraestrutura para fazer os pagamentos, cujo volume é quatro vezes maior que a iniciativa anterior. Informou ainda que as agências abrirão aos sábados e que ele mesmo participará in loco para acompanhar o atendimento.

Guimarães informou ainda que a Caixa fará de imediato o depósito dos recursos do FGTS e do PIS para quem já for correntista do banco. Os que não quiserem poderão solicitar o estorno. Do contrário, conforme ele, o custo operacional seria muito maior para a instituição.

A Caixa também deve lançar em breve, segundo Guimarães, uma campanha de publicidade para orientar os brasileiros tanto sobre os saques do FGTS quanto do PIS.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora