Bolsonaro diz que retirou indicações do Cade porque nomes não eram adequados


O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que retirou duas indicações para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) porque os nomes não eram adequados e que aceita indicações “de qualquer um” para essas e outras vagas na administração federal. Os novos nomes, declarou Bolsonaro, poderão ser escolhidos ainda nesta quarta-feira, 7, após conversa com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Conforme o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) publicou na semana passada, os nomes de Vinícius Klein e Leonardo Bandeira Rezende para o conselho não haviam agradado ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e a retirada abriu caminho para facilitar a aprovação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-AP) na embaixada brasileira em Washington.

As indicações para o Cade e para a representação diplomática precisam ser aprovadas pelo Senado.

“O nome, quando vi que não estava muito adequado… e estamos reestudando. Na verdade vão ser meia dúzia de vagas. Vão abrir mais vagas”, declarou Bolsonaro, ao ser perguntado sobre a retirada das indicações e se o Senado iria participar da sugestão de outros nomes. “Eu aceito indicação de qualquer um, você pode indicar alguém, não tem problema nenhum. Se passar no filtro aqui, a gente indica.”

Bolsonaro declarou que 10 mil cargos passam diretamente pelas mãos dele. “Não tenho controle, meu Deus do céu, não dá.”

Embaixada

Sobre a indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada nos Estados Unidos, Bolsonaro afirmou que conversará com o filho e que, se possível, encaminhará o nome para o Senado ainda nesta semana.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora