Bolsas de NY repercutem possível pausa no aperto do Fed e fecham em alta

Os mercados acionários americanos encerraram o pregão desta segunda-feira, 7, em alta, à medida que os investidores monitoraram sinais dados…


Os mercados acionários americanos encerraram o pregão desta segunda-feira, 7, em alta, à medida que os investidores monitoraram sinais dados pelo Federal Reserve (Fed, o banco central americano) para o futuro da política monetária nos Estados Unidos e as negociações comerciais sino-americanas em Pequim.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,42%, para 23.531,35 pontos; o S&P 500 subiu 0,70%, para 2.549,69 pontos; e o Nasdaq avançou 1,26%, para 6.823,47 pontos.

“A economia americana continua a produzir em nível robusto, está em uma situação muito boa e a perspectiva é positiva”, afirmou o presidente da distrital de Atlanta do Fed, Raphael Bostic. Principal autoridade a discursar no dia, o dirigente comentou que a volatilidade dos mercados é um potencial sinal de preocupação, mas ressaltou que somente a volatilidade não é um indicador de que os fundamentos econômicos estejam diferentes. Mesmo assim, Bostic defendeu somente mais uma elevação nos juros este ano e destacou que o Fed deve estar aberto para “ver o que acontece”.

A cautela de Bostic corrobora a visão do presidente do banco central, Jerome Powell, e vai ao encontro de indicadores abaixo do esperado da economia americana. De acordo com o Instituto para Gestão de Oferta (ISM, na sigla em inglês), o índice de atividade do setor de serviços nos EUA caiu de 60,7 em novembro para 57,6 em dezembro, enquanto analistas esperavam recuo menor, para 58,4 pontos. O recuo do indicador fez com que o JPMorgan projetasse 40,1% de chance de recessão no país nos próximos 12 meses.

No entanto, para os analistas do Citi, o ISM continua a mostrar que a economia americana se mantém em caminho sólido, apoiado pela força do consumo. “Apesar do declínio, as novas encomendas no setor de serviços, que mostraram alta, indicam que o segmento continua forte, em contraste com queda nas encomendas de produtos industriais americanos”, apontaram os economistas do banco americano.

No noticiário do dia, os investidores continuaram a digerir notícias relativas à paralisação parcial da máquina pública federal dos EUA, enquanto equipes americanas e chinesas se reúnem em Pequim para conversas sobre as relações comerciais entre as duas maiores economias do mundo. Nesse cenário, empresas relacionadas ao setor industrial apresentaram ganhos moderados, como Boeing (+0,31%) e Caterpillar (+0,06%), enquanto o destaque entre as techs ficou com a Netflix, cuja ação subiu 5,97%, apoiada pela vitória do filme Roma, de Alfonso Cuarón, nas categorias de melhor filme estrangeiro e de melhor diretor no Globo de Ouro.

De acordo com o estrategista chefe de ações dos EUA do Credit Suisse, Jonathan Golub, diversas preocupações pesaram sobre as ações recentemente e impulsionaram a volatilidade nos mercados. Em nota a clientes, ele lembra que o índice VIX iniciou 2018 em torno de 11,0 pontos e terminou o ano passado com 25,4, indicando estresse. “Essa mudança contribuiu para o declínio acentuado nos preços das ações, mas prevemos uma renormalização da volatilidade do mercado, o que culminaria em valuations mais robustas.”

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!