07 de agosto de 2020 Atualizado 14:50

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Economia

Bolsas de NY renovam recordes históricos com foco em acordo EUA-China

Por Agência Estado

02 jan 2020 às 19:31 • Última atualização 02 jan 2020 às 21:15

As bolsas de Nova York renovaram recordes históricos de fechamento no primeiro pregão de 2020, após terem acelerado a alta na tarde desta quinta-feira, 2. O otimismo com o anúncio da data para a assinatura do pacto comercial preliminar entre os Estados Unidos e a China impulsionou o mercado acionário americano, também apoiado por estímulos monetários do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês).

O Dow Jones avançou 1,16%, a 28.868,80 pontos, o S&P 500 subiu 0,84%, a 3.257,85 pontos, e o Nasdaq fechou com ganhos de 1,33%, a 9.092,19 pontos. Os três índices registraram recordes históricos de fechamento, após o presidente americano, Donald Trump, ter fixado para 15 de janeiro a data de formalização da chamada “fase 1” do acordo comercial entre Washington e Pequim. Em anúncio feito pelo Twitter no último dia 2019, Trump também disse que irá ao país asiático em uma data futura para iniciar as negociações da “fase 2”.

Na avaliação do Rabobank, após os índices acionários de Wall Street terem registrados ganhos anuais recordes em 2019, “será muito difícil, se não impossível, repetir ganhos tão impressionantes em 2020”. O banco não descarta uma recessão nos EUA neste ano e pondera que a trégua comercial entre as duas maiores economias do mundo pode não durar.

O anúncio do PBoC de que vai cortar o compulsório dos bancos chineses em 50 pontos-base, de 13,0% para 12,5% no caso de grandes bancos, a partir de 6 de janeiro, também animou os investidores hoje, já que economia do país asiático enfrenta uma desaceleração.

Também estiveram no radar os novos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA, que recuaram 2 mil na semana encerrada no dia 28 de dezembro, para o patamar sazonalmente ajustado de 222 mil, de acordo com o Departamento do Trabalho, ante previsão de 225 mil. Já o PMI industrial americano caiu de 52,6 em novembro para 52,4 em dezembro, mas ficou no melhor patamar do ano.

Hoje, o subíndice do setor industrial do S&P 500 liderou os ganhos (+1,81%), seguido pelo do setor de tecnologia (+1,73%) e pelo do setor de comunicação (+1,32%). Entre as ações importantes negociadas em Wall Street, a Apple subiu 2,28%, a Amazon avançou 2,72%, na máxima do dia, e o Morgan Stanley obteve ganho de 1,80%.

Contato: iander.porcella@estadao.com