27 de fevereiro de 2021 Atualizado 20:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Bolsas da Europa fecham em alta, impulsionadas por indícios de retomada

Por Agência Estado

19 fev 2021 às 15:48 • Última atualização 19 fev 2021 às 19:02

As bolsas da Europa fecharam em alta nesta sexta-feira, 19, impulsionadas pela divulgação de dados acima do esperado por analistas para o continente. O resultado leva a uma percepção de que o cenário mais grave da pandemia de covid-19 pode ter sido superado, o que é corroborado pelas quedas em números de casos e mortes diários em diversos países. A melhora do quadro pode diminuir medidas de restrição, e reforçar uma recuperação. Ações ligadas a commodities como cobre e petróleo tiveram destaque entre as altas. O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 0,53%, a 414,88 pontos. Na semana, o ganho foi de 0,21%.

Os índices de gerentes de compras (PMIs, pela sigla em inglês) mostraram que a atividade econômica da Europa está se recuperando da pandemia em ritmo mas veloz do que o previsto, à medida que as campanhas de vacinação avançam. Para a diretora-executiva da IHS Markit, Sara Johnson, o horizonte de médio prazo é promissor para a economia global. “Em julho, o mundo chegará a um ponto de inflexão em que as populações mais vulneráveis estarão protegidas, a mortalidade será reduzida e as hospitalizações serão administráveis”, prevê.

No Reino Unido, a curva epidemiológica se empinou para baixo, com uma queda de 20% no volume semanal de infecções. Na França, o movimento foi suficiente para que o governo descartasse a intensificação das medidas de restrição. Em Portugal, o país anunciou hoje o menor número diário de mortos em 2021.

Em Londres, o FTSE 100 avançou 0,10%, a 6.624,02 pontos, com destaque para as mineradoras Antofagasta (+7,17%) e Anglo America (+3,80%), impulsionadas pelos ganhos do cobre. Na semana, a alta do índice foi de 0,52%. Apesar da queda no preço do petróleo hoje, o cenário foi visto como positivo para empresas do setor. Em Madri, a Repsol avançou 3,97%, impulsionando o IBEX 35 a uma alta de 1,16%, a 8.151,60 pontos. Na comparação semanal, houve avanço de 1,20%.

Em Paris, a Total seguiu o movimento e subiu 1,03%. Já a Renault, disse hoje que vai propor cancelar o pagamento do dividendo anual depois de amargar um prejuízo líquido de mais de 8 bilhões de euros em 2020, recuando 4,43%. O CAC avançou 0,79%, a 5.773,55 pontos. Na semana, a alta foi de 1,23%. Em Lisboa, o PSI 20 teve a maior alta dentre as principais bolsa europeias, subindo 2,40%, a 4.817,97 pontos. Na semana, o índice ganhou 1,95%. Entre as ações mais negociadas, a The Navigator Company, do setor de papel, teve destaque em meio às notícias sobre uma possível proposta de venda, e subiu 4,59%.

Na Itália, o primeiro-ministro Mario Draghi afirmou hoje que o resgate no país tornará a dívida sustentável. Em Milão, o FTSE MIB subiu 0,94%, a 23.136,31 pontos. Na semana, houve queda de 1,17%. Já em Frankfurt, o DAX teve avanço de 0,77%, a 13.993,23 pontos. Na comparação semanal, a queda foi de 0,40%.

Publicidade