Após demissões, trabalhadores da Caoa Chery fazem greve no interior de SP

Empresa explicou que as demissões são uma tentativa de reequilibrar a operação da empresa no País e "resistir ao cenário econômico atual"


Após a fabricante de veículos Caoa Chery demitir 59 funcionários nesta semana, os metalúrgicos remanescentes começaram uma greve nesta quinta-feira, que paralisou toda a produção da fábrica de Jacareí, no interior de São Paulo. A informação é do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região.

Em nota divulgada à imprensa antes do anúncio da greve, a Caoa Chery explicou que as demissões são uma tentativa de reequilibrar a operação da empresa no País e “resistir ao cenário econômico atual e previsto para os próximos meses”, além de permitir a manutenção dos demais empregos, “que serão fundamentais para o lançamento de um novo produto previsto para o primeiro semestre deste ano”.

Ainda segundo a Caoa Chery, a situação econômica do Brasil neste início de ano, agravada pela recente disparada do dólar, gerou uma grande e inesperada queda nas vendas do setor, após um período de recuperação iniciado em 2017.

Em greve, os trabalhadores reivindicam a reintegração dos demitidos, estabilidade no emprego, manutenção dos direitos e licença remunerada para todos durante a crise do coronavírus.

“As medidas são uma exigência dos metalúrgicos neste momento de crise provocada pela disseminação do novo coronavírus”, explica a nota do sindicato, que na quarta-feira lamentou que as demissões tenham ocorrido no momento em que os trabalhadores mais precisam de proteção das empresas e dos convênios médicos.

Ainda hoje ocorrerá uma reunião entre representantes do sindicato e a direção da Caoa Chery. O resultado dessa conversa será apresentado na sexta-feira em assembleia dos trabalhadores, que decidirão sobre os rumos da greve.

De qualquer forma, a empresa também anunciou hoje que, para evitar o contágio do novo coronavírus, vai começar a reduzir gradualmente a produção a partir de segunda-feira, com interrupção total a partir do dia 27, uma sexta-feira. A suspensão das atividades, a princípio, valerá por duas semanas, a depender da evolução da situação. Os trabalhadores da área administrativa começam nesta quinta a trabalhar remotamente.

A empresa também avalia antecipar a campanha de vacinação contra a gripe, disponibilizada anualmente a todos os colaboradores da planta de Jacareí. Os colaboradores serão orientados também a seguirem rigorosamente o isolamento social, conforme indicação do Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde (OMS).

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora