Após CCJ, Maia fala em apressar instalação de comissão especial


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer apressar a instalação da comissão especial que vai analisar o mérito da reforma da Previdência, após os atrasos da tramitação na Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ). O deputado comemorou ontem a aprovação, que ele chamou de “vitória do Brasil” e disse que é de “cada um dos deputados que sabe que sem a reforma o Brasil não vai pra frente”. “Quem votou sim hoje é a favor do pagamento das aposentadorias”, disse.

Maia reconheceu que só foi a primeira das etapas que a reforma precisa vencer no Congresso. “Agora temos 60 dias para organizar a votação na comissão especial e depois no plenário”, disse o deputado, logo após o resultado da votação. O presidente da Câmara voltou a afirmar que o governo vai precisar trabalhar “de forma efetiva” sua base para as próximas fases. Ele disse ainda que muitas vezes é mais importante “o resultado do que o discurso”, um recado para alguns parlamentares inexperientes.

Maia deve se reunir nesta quarta-feira, 24, pela manhã, com lideranças que votaram a favor da reforma para pedir a indicação dos membros que irão compor a comissão especial. Assim que ele tiver o número suficiente de deputados indicados, vai instalar o colegiado. “Gostaria que pudéssemos instalar a comissão na quinta-feira, mas dependo dos líderes”, disse. “Instalar no máximo até próxima terça seria demonstração de responsabilidade.”

Em relação ao relator, Maia disse que o escolhido deve ser algum parlamentar alinhado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e também com o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho.

Entre os líderes que irá chamar amanhã para conversar, Maia citou o líder do PSL, Delegado Waldir, o do PP, Arthur Lira e o do PR, Wellington Roberto. “Arthur Lira hoje foi muito importante (para votação na CCJ)”, disse.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora