18 de julho de 2024 Atualizado 19:44

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano

Vítimas de acidente faziam viagens a Aparecida havia 40 anos: ‘Perdemos parte grande da família’

Por Agência Estado

05 de julho de 2024, às 17h36

As dez pessoas que morreram no acidente com um ônibus de romeiros, na madrugada desta sexta-feira, 5, eram da mesma família. Devoto de Nossa Senhora Aparecida, o grupo viajava havia 40 anos para o Santuário Nacional de Aparecida, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo.

As vítimas são moradoras do bairro Palmeirinha, em Ribeirão Branco, no sudoeste paulista. O bairro rural fica na divisa de Ribeirão Branco com Itapeva. O acidente aconteceu aos 17 minutos desta sexta, quando o ônibus se chocou com um pilar de sustentação de um viaduto, no km 171 da Rodovia Professor Francisco da Silva Pontes, em Itapetininga. Outras 42 pessoas ficaram feridas.

A dona de casa Iracema Santos Moraes, de 46 anos, que perdeu um irmão, dois sobrinhos e outros parentes, contou que o grupo era muito unido e católico. O irmão que morreu no acidente, Moacir Ferreira de Moraes, era o organizador da excursão.

“Ele era uma liderança aqui no bairro e organizava as excursões há pelo menos 40 anos. Pelas informações que chegaram aqui, além dele, morreram dois filhos dele, meus sobrinhos, duas noras, um neto dele e a esposa desse neto. Uma tragédia. Perdemos parte grande da família”, disse ao Estadão.

Iracema contou que o bairro está abalado e os familiares ainda buscam informações. “Ninguém sabe ao certo como aconteceu o acidente. Já viajei muitas vezes com o grupo do meu irmão, mas, como o número de pessoas que querem ir aumentou, eu passei a organizar outro grupo. Fizemos a viagem para Aparecida em junho e foi tudo bem.”

Segundo ela, a prefeitura ofereceu o Ginásio de Esportes para o velório coletivo, mas seu irmão já havia falado aos familiares que, ao morrer, queria ser velado na igreja do bairro, que tem como padroeira Nossa Senhora da Conceição. “Ele era muito devoto de Nossa Senhora”, disse.

Uma sobrinha de Iracema, Camila de Moraes, sobreviveu ao acidente. Seus pais, no entanto, sofreram ferimentos e estão internados em um hospital de Itapetininga. “Foi muito rápido, o barulho da batida, uma confusão. Não consigo nem falar sobre isso. Meus pais estão internados”, disse à reportagem.

O prefeito Tuca Ribas (PP) foi ao bairro na manhã desta sexta para se solidarizar com os moradores e oferecer apoio para o traslado de corpos, velório e o sepultamento, além do suporte aos feridos.

Segundo o secretário de Governo, José Luis Couto, foi decretado luto oficial de três dias. O expediente da prefeitura foi suspenso.

Em sua página no Facebook, o prefeito publicou uma nota de pesar. “Nossos corações estão com as famílias de romeiros do Bairro Palmeirinha e todos os envolvidos neste momento tão difícil. Cancelamos todas as atividades oficiais para dar apoio às famílias e decretamos luto oficial de três dias em solidariedade à comunidade de Ribeirão Branco. Que encontrem conforto e apoio para superar essa dor imensurável.”

A empresa de fretamento Ônix Turismo, de Itapeva, proprietária do veículo, informou à reportagem que o ônibus havia passado por revisão antes da viagem e estava com a parte mecânica em ordem.

A companhia disse que presta assistência às famílias e colabora com a investigação sobre as causas do acidente. Segundo a Ônix Turismo, o veículo levava 54 passageiros.

Em nota, a Agência de Transporte Estado de São Paulo (Artesp) informou que o ônibus estava em situação regular junto à agência e a Polícia Rodoviária. Equipes do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar Rodoviária auxiliaram durante toda a madrugada no socorro às vítimas, que foram levadas para hospitais de Itapetininga e Sorocaba.

“Os profissionais da Secretaria de Estado da Saúde acompanham a situação nos hospitais da região por meio da central de regulação de vagas para todo suporte necessário”, disse a agência

Ainda segundo a Artesp, duas vítimas estão em atendimento em uma unidade estadual, no Conjunto Hospitalar de Sorocaba, com quadro estável.

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo informou que as investigações sobre o acidente ficarão a cargo do 2º Distrito Policial de Itapetininga. O motorista do veículo foi submetido ao teste do etilômetro, que resultou negativo.

Equipes do Instituto de Criminalística de Itapetininga e Sorocaba foram designadas para o local do acidente. As vítimas fatais foram levadas para o Instituto Médico-Legal (IML) das duas cidades para serem necropsiadas e liberadas aos familiares.

Equipes da PM continuam no local e nos hospitais, realizando as verificações finais, segundo a SSP.

Publicidade