Vacinas estarão prontas para testes clínicos em 3 meses, diz infectologista

Segundo o médico, será necessário saber se a vacina será eficaz na proteção contra a doença e se é segura para uso em humanos


Foto: Divulgação
Segundo ministro, a busca pela imunização está entre as três medidas que deverão concentrar os esforços do Ministério

O coordenador do Centro de Gerenciamento do Coronavírus em São Paulo, o médico infectologista David Uip, afirmou há pouco que o governo do Estado de São Paulo, trabalha para que haja uma vacina contra o novo coronavírus, causador da covid-19, “pronta para testes clínicos em até 3 meses”. Segundo o médico, será necessário saber se a vacina será eficaz na proteção contra a doença e se é segura para uso em humanos.

De acordo com a diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica em São Paulo, Helena Sato, o Estado de São Paulo apresenta hoje um caso confirmado da doença e 85 suspeitos, ou seja, aqueles que apresentam sintomas e, ou estiveram em um país em alerta, ou tiveram contato com algum caso confirmado.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Segundo o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, a busca pela imunização está entre as três medidas que deverão concentrar os esforços do Ministério. São elas: testes rápidos, a busca por um medicamento retroviral, e, finalmente, a imunização. O ministro também reforçou a antecipação da campanha de vacinação da gripe nacionalmente, em um primeiro momento para gestantes, crianças até 6 anos, e puérperas e em seguida para pessoas idosas acima de 60 anos.

Mandetta ainda lembrou que é necessário não perder “o foco de muitas situações que estão na nossa mão” e relembrou o caso de um bebê morto em razão de infecção do sarampo por falta de vacinação. “Eu fico imaginando se esse pessoal antivacina, quando sair uma vacina para o coronavírus, se eles vão ficar em casa”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora