12 de julho de 2024 Atualizado 12:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano

Temporal afeta 1,2 mil casas em cidade do Rio Grande do Sul; Estado fala em microexplosão

Por Agência Estado

16 de junho de 2024, às 20h45 • Última atualização em 17 de junho de 2024, às 09h28

Um temporal com vento e granizo causou grande destruição na cidade de São Luiz Gonzaga, na região noroeste do Rio Grande do Sul, no final da noite deste sábado, 15. Cerca de 1,2 mil casas e empresas foram danificadas, segundo a prefeitura. A Sala de Situação do Estado classificou o fenômeno como uma microexplosão, decorrente das instabilidades climáticas que atingiram a região. Apesar do prejuízo, até o início da tarde deste domingo, 16, não havia informações sobre vítimas.

A tempestade, iniciada por volta de 22h30, durou pouco mais de cinco minutos, mas teve força avassaladora na cidade de 34,7 mil habitantes. Coberturas de galpões industriais foram arrancadas, silos entortaram e telhados de casas foram levados pelo vento.

Cerca de 15 mil pessoas estão sofrendo as consequências do temporal, de acordo com o prefeito Sidney Brondani (PP). Os bairros mais atingidos foram o Agrícola, Jauri, Cohab, Mário, Auxiliadora, Presidente Vargas e a área industrial, além do centro.

Segundo ele, as pessoas que não tiveram condições de ficar em casa devido aos danos foram para as casas de parentes. Postos de saúde e escolas também foram atingidos e as aulas estarão suspensas nesta segunda-feira, 16. Houve quedas de postes e suspensão parcial no fornecimento de água. Segundo o prefeito, equipes e voluntários trabalham na desobstrução de ruas e ajudam no reparo das casas.

A estudante Thaiz Castro contou que a casa de seus avós e de dois tios foram destruídas no bairro Agrícola. “Eles perderam também os carros. Tive alguns danos na minha casa, mas não como nas deles”, disse. A Câmara de Vereadores anunciou o repasse de uma verba de R$ 1 milhão que estava destinada à construção do novo prédio do Legislativo para socorrer o município na calamidade.

Conforme a Defesa Civil estadual, a microexplosão ocorre quando existem tempestades intensas, com descargas elétricas e nuvens com alta concentração de água, que acaba sendo despejada em direção ao solo. Geralmente o fenômeno é acompanhado por fortes rajadas de vento e granizo. Havia alerta para temporais no Estado até as 19 horas deste domingo.

O ministro extraordinário de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, se manifestou sobre a situação da cidade por sua conta no X (Twiter). “Estou acompanhando desde manhã cedo a triste situação em São Luiz Gonzaga. Já estou com cópia do decreto de emergência, já fiz contato com a Defesa Civil Nacional e o governo do presidente Lula, como sempre, vai estar presente dando apoio a São Luiz Gonzaga”, postou.

O Rio Grande do Sul ainda sofre com os efeitos das grandes enchentes que atingiram o Estado entre o final de abril e o início de maio. Segundo balanço atualizado na última sexta-feira, 14, foram atingidos 478 municípios deixando 422.753 pessoas desalojadas e ao menos 10.793 desabrigados. Houve 175 mortes confirmadas, além de 806 pessoas feridas. Ainda há 39 pessoas desaparecidas.

Publicidade