29 de junho de 2022 Atualizado 20:07

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano

Suspeito de matar estudante da Unicamp em São João da Boa Vista é preso

Michael Douglas da Silva, de 28, foi preso em uma área de mata, a cerca de 140 quilômetros de Americana

Por Agência Estado

18 de maio de 2022, às 14h32 • Última atualização em 19 de maio de 2022, às 07h33

Michael Douglas da Silva é procurado pelo crime - Foto: Polícia Civil / Divulgação

Foi preso nesta quarta-feira, 18, o homem suspeito de assassinar a facadas a estudante da Universidade de Estadual de Campinas (Unicamp) Mayara Roquetto Valentim, de 24 anos, no último domingo, 15, em São João da Boa Vista, interior de São Paulo. Michael Douglas da Silva, de 28 anos, estava escondido em um matagal, na Serra da Paulista, na mesma região em que a jovem foi assassinada com 28 facadas.

A prisão foi feita por agentes da Polícia Civil e do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) da Polícia Militar de Piracicaba. Michael Douglas estava com a prisão temporária decretada desde sábado, quando tentou assassinar outra mulher na pensão em que ele morava. Ele foi levado para a Delegacia de Polícia do município.

A jovem, que estudava em Campinas e passava os fins de semana com a família, em São João da Boa Vista, saiu para caminhar no local conhecido como Vale dos Gnomos, na Serra da Paulista, e não retornou. Cães farejadores reconheceram vestígios de Michael no local em que o corpo da jovem foi encontrado, ainda no domingo.

Desde então, a polícia procurava o suspeito. De acordo com sua família, Michael Douglas sofre de esquizofrenia e vinha tomando medicamentos de uso controlado. A reportagem ainda não obteve contato com a defesa do suspeito.

Mayara Roquetto Valentim tinha 23 anos – Foto: Reprodução / Facebook

Caso
Mayara foi assassinada após sair de casa para fazer uma caminhada, na manhã de domingo, 15. Amigos da estudante disseram que ela tinha o hábito de caminhar em um local da serra conhecido como Vale dos Gnomos. O recanto, em meio à mata, é procurado por moradores e turistas.

Imagens de uma câmera de monitoramento mostram quando a garota atravessa uma rua e se dirige ao local da caminhada. Como ela não retornou, familiares iniciaram as buscas e pediram ajuda à polícia.

O corpo foi encontrado na noite de domingo por pessoas que ajudavam a procurar a garota, caído em uma ribanceira, em meio às pedras, a menos de 4 quilômetros de sua casa. Mayara tinha marcas de 28 facadas no tórax, cabeça, braços e mãos, o que indica que teria tentado se defender do agressor. Conforme a polícia, não havia sinais de violência sexual. O corpo passou por perícia no Instituto Médico Legal de São João da Boa Vista.

Publicidade