Shoppings do País já reduzem horário


A Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) e a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) recomendaram aos associados com empreendimentos localizados em áreas com casos confirmados que funcionem, a partir desta quarta-feira, 18, em horário reduzido, das 12 às 20 horas. Esse horário normalmente é usado apenas em feriados e domingos. Ainda na terça, estabelecimentos de São Paulo, Porto Alegre, do Grande Recife, de Natal, de Belo Horizonte e Campinas (SP) anunciaram mudanças.

A Multiplan, responsável em São Paulo por Morumbi e Anália Franco, adotará a restrição. O mesmo vale para a brMalls, com 32 shoppings em 12 cidades pelo País.

Ainda na capital terão redução de horário pelo menos o Iguatemi, o JK Iguatemi, o Ibirapuera e o Cidade Jardim. Entre filiados da Alshop paulistanos, estão o Lar Center, o Cidade Jardim, o Light e o D. Até as 20 horas da terça-feira, não foi possível contactar todos.

A ideia é reduzir riscos de propagação da doença e se alinhar com o que o Executivo em diversos locais vem sugerido. Para os shoppings em áreas que não tiveram nenhum caso confirmado, a entidade orienta que façam um monitoramento da evolução e compartilhem informações com a Abrasce.

Inicialmente, a expectativa é de que a medida não atinja possíveis serviços essenciais que funcionem nesses locais, incluindo bancos, farmácias, laboratórios e supermercados. Indagado sobre a possibilidade de aumento da ocupação de shoppings (por pessoas em home office e estudantes, por exemplo), o ministério só havia recomendado que esses estabelecimentos ampliassem a oferta de locais para lavar as mãos e de álcool em gel.

Na terça, a Associação da Noite e Entretenimento Paulistano (Anep), que reúne restaurantes e boates na capital, enviou carta ao governador João Doria e ao prefeito Bruno Covas pedindo um decreto que estabeleça o fechamento dos estabelecimentos “o mais rápido possível”. A Anep também pleiteia a suspensão de taxas de iluminação e água, isenção de tributos e a criação de uma linha de crédito. A carta é assinada por 129 estabelecimentos.

Procurados pelo jornal O Estado de S. Paulo para comentar a carta da Anep, o governo estadual e a Prefeitura não responderam.

Férias

A partir da próxima segunda, o Sindicato dos Comerciários de São Paulo vai dar férias coletivas a 500 funcionários por 15 dias.

Segundo Ricardo Patah, presidente da entidade, o sindicato vai se comunicar com os trabalhadores do comércio por meio de redes sociais e terá um esquema de plantão. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora