Rio tem aumento de 62% nos tiroteios após intervenção federal

O número de tiroteios registrados no Rio de Janeiro aumentou 62% nos últimos setes meses sob intervenção federal na Segurança…


O número de tiroteios registrados no Rio de Janeiro aumentou 62% nos últimos setes meses sob intervenção federal na Segurança Pública, comparado com o mesmo período do ano passado. Os números foram coletados pelo laboratório sobre violência armada Fogo Cruzado, até às 9h deste sábado, 15.

Foram registrados 5.857 tiroteios na Região Metropolitana. No mesmo período do ano passado, foram 3.617. O município que apresentou o maior aumento foi o de Belford Roxo, na Baixada Fluminense (428%).

Nos sete meses de intervenção, os municípios mais afetados por registros de tiroteios/disparos de arma de fogo foram Rio de Janeiro (3454), São Gonçalo (602) e Belford Roxo (433). A capital foi também a que registrou a maior quantidade de mortos (304) e feridos (407) por armas de fogo.

Os bairros que lideraram o ranking de incidência de tiroteios foram Vila Kennedy (217), Praça Seca (181), Complexo do Alemão (150), Cidade de Deus (140) e Tijuca (134), todos na capital.

Deste número, 1218 tiroteios ocorreram em áreas de UPPs, além de 90 mortos e 104 feridos. No período da intervenção, 14 crianças foram baleadas, todas vítimas de balas perdidas – duas delas morreram e 12 ficaram feridas. No mesmo período, foram ao menos 41 adolescentes baleados – 19 faleceram e 22 ficaram feridos.

Segundo o balanço, no período da intervenção, 50 agentes de segurança morreram vítimas de armas de fogo e 122 ficaram feridos, mais da metade deles na capital – 29 e 75 respectivamente. Foram registradas 229 horas e 20 minutos de tiroteios contínuos – casos que perduram 02 ou mais horas – distribuídas por 49 eventos

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!