PRF prende mulher que dirigia ônibus recheado com 1,8 tonelada de maconha

Ônibus era conduzido por uma mulher de 36 anos de idade, que não é habilitada para dirigir esse tipo de veículo


Vídeo:

A Polícia Rodoviária Federal prendeu uma mulher, nesta quinta, 13, que dirigia um caminhão com 1,8 tonelada de maconha em Alto Paraíso, na região noroeste do Paraná. Segundo a PRF, a “droga estava escondida em compartimentos ocultos de um ônibus, abordado na BR-487, em frente à Unidade Operacional Porto Camargo”.

O ônibus era conduzido por uma mulher de 36 anos de idade, que não é habilitada para dirigir esse tipo de veículo. Ela já havia sido pelo menos outras duas vezes, também por tráfico de drogas.

A PRF diz que os agentes desconfiaram da motorista e decidiram fazer uma verificação minuciosa do ônibus. “Aos policiais rodoviários federais, ela disse que saiu de Ponta Porã (MS) e pretendia levar o veículo e a carga ilícita até Marília (SP)”.

Segundo a PRF, o crime de tráfico de drogas tem pena prevista de cinco a 15 anos de prisão. A PRF encaminhou a ocorrência para a Delegacia da Polícia Civil em Xambrê.

Prisões. Com residência declarada em Estrela do Norte (SP), a mesma mulher já havia sido presa ao menos outras duas vezes, também por tráfico de drogas.

Em março de 2011, ela foi detida pela própria PRF transportando 42,8 quilos de maconha, na companhia do marido, na BR-101, em Biguaçu (SC).

Em janeiro de 2012, agentes da Polícia Federal flagraram a mulher com 19,4 quilos de maconha, três quilos de haxixe, 11,3 quilos de pasta base de cocaína e 3,2 quilos de cloridrato de cocaína, em Teodoro Sampaio (SP).

Nessas duas outras ocorrências, as drogas também eram transportadas em compartimentos ocultos de veículos.

Incineração. A Polícia Federal incinerou, entre a quarta-feira, 12, e esta sexta, 14, seis toneladas de drogas apreendidas por meio de grandes operações deflagradas no final de 2018 e início de 2019.

A grande queima de drogas foi realizada sob forte esquema de segurança, acompanhada pelo superintendente regional da PF no Distrito Federal, delegado Márcio Nunes, pelo Diretor de Combate ao Crime Organizado da PF Hugo de Barros, procuradores do Ministério Público do DF e Territórios e da Vigilância Sanitária.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora