28 de setembro de 2020 Atualizado 14:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Ozonioterapia

Prefeito de Itajaí sugere aplicação retal de ozônio para Covid-19

A ozonioterapia não tem comprovação científica e Conselho Federal de Medicina só autoriza a aplicação em estudos experimentais

Por Agência Estado

04 ago 2020 às 12:54 • Última atualização 04 ago 2020 às 14:05

O prefeito de Itajaí (SC), Volnei Morastoni (MDB), sugeriu mais uma opção de tratamento à Covid-19 no município: aplicação de ozônio, pelo ânus, em casos que tiveram diagnóstico do novo coronavírus. Não há estudos científicos que comprovem a eficácia ou segurança desse tipo de terapia contra a Covid-19 nem recomendação de autoridades de saúde.

Segundo resolução do CFM (Conselho Federal de Medicina) de 2018, a ozonioterapia não tem comprovação científica e deve ser usada só em estudos experimentais, com protocolos aprovados por Comitê de Ética em Pesquisa.

Morastoni disse, durante live no Facebook, na noite de segunda-feira que inscreveu o município na Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa), vinculada ao Ministério da Saúde, para integrar um protocolo de pesquisa sobre a ozonioterapia. “Com isso, nós vamos ser autorizados a ter um laboratório de ozônio. Já estamos definindo o local e providenciando os aparelhos”, disse o prefeito.

De acordo com Morastoni, maiores detalhes serão dados depois. “Além da ivermectina, da azitromicina, da cânfora, nós também vamos oferecer o ozônio. É uma aplicação simples, rápida, de dois minutos, com um cateter fininho e isso dá um resultado excelente”, disse. O paciente deverá fazer 10 sessões do tratamento.

Médico pediatra
O prefeito Volnei Morastoni também é médico. Ele graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Paraná e fez pós-graduação em Pediatria e em Saúde Pública. Morastoni iniciou a carreira no antigo Hospital Infantil Menino Jesus de Itajaí e como voluntário da Apae local.

Ainda quando estudante, o chefe do Executivo municipal despontou na política e foi eleito vereador de Itajaí por duas vezes consecutivas, a partir de 1989.

Eleito deputado estadual pela primeira vez em 1994, se reelegeu em 1998, 2002 e 2010, tendo a oportunidade de ocupar o cargo de presidente da Assembleia Legislativa e ainda o de governador interino do Estado de Santa Catarina.

Em 2005, foi eleito prefeito de Itajaí e agora exerce o segundo mandato à frente do município do litoral norte do Estado.

Publicidade