23 de Maio de 2020 Atualizado 11:23

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Cotidiano

Polícia Federal vai apurar violência contra fiscais do Ibama no Pará

Por Agência Estado

06 Maio 2020 às 20:02 • Última atualização 06 Maio 2020 às 20:33

A Delegacia de Polícia Federal de Santarém, no Pará, abriu investigação para apurar o caso de violência que envolveu um agente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no sudoeste do Pará, na terça-feira, 5. O fiscal foi agredido com uma garrafada no rosto durante operação contra o desmatamento na Amazônia, nos municípios de Uruará e Terra Indígena Cachoeira Seca.

Após denúncia, a Polícia Federal informou, em nota, que diligências policiais já estão em andamento, “assim como a instauração de um Inquérito Policial para a apuração dos fatos, incluindo a possível agressão sofrida por um servidor federal”.

A agressão teria sido provocada por madeireiros da região após a apreensão dos veículos usados pelos infratores. Durante a operação, os fiscais queimaram três caminhões e dois tratores usados para retirada ilegal de madeira e apreenderam um caminhão. O grupo de madeireiros, formado por pelo menos dez homens, então, criou uma emboscada aos fiscais. Durante o tumulto, um homem jogou uma garrafa no agente. Ao ser atingido, ele caiu no chão e logo foi atendido no hospital municipal. O quadro de saúde dele é estável.

É o segundo caso de agressão a agentes ambientais no mês de maio. No último sábado, 2, em São Paulo, um guarda-parque foi morto durante operação da Polícia Ambiental contra um garimpo ilegal no interior do Parque Estadual de Intervales, no Vale do Ribeira.

Confira a nota do Ibama:

“O Ibama repudia a agressão contra agente ambiental federal ocorrida nesta terça-feira (05/05), durante operação de combate ao desmatamento ilegal realizada na região de Uruará, no Pará. Um grupo que tentava impedir a apreensão de um caminhão retirado de área desflorestada ilegalmente no entorno da Terra Indígena (TI) Cachoeira Seca arremessou uma garrafa em direção à cabeça do servidor, que foi socorrido, medicado e liberado.

Horas antes do ataque, helicópteros do Ibama haviam identificado área de exploração ilegal de madeira na região, onde operavam quatro caminhões e dois tratores. Os infratores fugiram antes que a equipe de fiscalização encontrasse local apropriado para pouso. Ao inspecionar o maquinário abandonado, os agentes constataram que apenas um dos caminhões, ainda novo, havia ficado com a chave de ignição e poderia ser transportado até Uruará.

Manifestantes aguardavam a equipe de fiscalização em uma ponte a caminho do município. O grupo tentou impedir o deslocamento do caminhão e, durante discussão com os agentes, arremessou a garrafa contra o servidor. Agentes da Força Nacional que participavam da operação para oferecer segurança contiveram a escalada da violência.”