PF desmonta rede de ‘casas de apoio’ a facção criminosa em Campo Grande


A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira, 26, a Operação Krimoj, que investiga uma rede de casas de apoio ligadas a facções criminosas em Campo Grande. Os imóveis eram mantidos pelos grupos para a troca de informações entre seus integrantes, indicou a PF. Seis mandados de busca e apreensão, expedidos pela 3ª Vara Federal são cumpridos na capital de Mato Grosso do Sul.

A ação é realizada em conjunto com o Departamento Penitenciário Federal, órgão vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, e mobiliza 30 policiais federais.

As investigações tiveram início em fevereiro, quando bilhetes com ameaças de morte a servidores públicos federais, escritos por membros de facção criminosa, foram interceptados na Penitenciária Federal de Campo Grande.

A apuração identificou que havia uma rede de casas de apoio a integrantes de diferentes facções instalada na cidade. Segundo a PF, os imóveis poderiam armazenar informações sobre a atuação dos grupos criminosos.

As quadrilhas financiavam os custos com aluguéis das casas, verbas para manutenção, passagens aéreas para os integrantes de outros Estados, e outros valores de custeio dos locais, informou a PF. Os investigados podem responder pelos crimes de organização criminosa e ameaça.

Nome

O nome da operação, “Krimoj”, é a tradução da palavra “crimes” em Esperanto, indicou a PF. Segundo a corporação, o nome faz alusão “aos diversos crimes praticados pelas facções criminosas” e ao fato de que as casas de apoio eram mantidas para a troca de informações entre os membros dos grupos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora