No Rio, uma roda-gigante de 25 andares já se impõe


A Rio Star, maior roda-gigante da América Latina, será inaugurada até a segunda quinzena de novembro, na zona portuária do Rio. Com 88 metros, o equivalente a um prédio de 25 andares, a atração vai oferecer vistas únicas do Porto, da Pedra do Sal, do Cristo Redentor, do Pão de Açúcar, da Ponte Rio-Niterói e do Morro da Providência. O objetivo dos empresários por trás do empreendimento é transformá-la em uma das principais atrações turísticas da cidade.

O mecanismo tem 54 cabines climatizadas, com capacidade para oito pessoas cada uma, podendo transportar ao todo 432 pessoas a cada 15 minutos. Segundo Fábio Bordin, diretor executivo da FW Investimentos, empresa que opera a Rio Star, a obra do parque está em fase final. “Já concluímos 90% da construção”, disse.

Para se firmar como um dos símbolos da cidade e reforçar o Rio como principal destino para o turismo de brasileiros e estrangeiros no País, o tamanho da Rio Star a coloca entre as maiores rodas-gigantes de todo o mundo, como a High Roller (Las Vegas), Star of Nanchang (China), London Eye (Londres) e EuroWheel (Itália). “Em todas as cidades do mundo com roda-gigante, elas se tornaram ícones”, afirmou Bordin.

Uma volta completa na roda-gigante carioca dura aproximadamente 15 minutos. A expectativa é de que cerca de 3 mil pessoas passem por dia pela atração, chegando a mais de 1 milhão por ano. A Rio Star estará aberta todos os dias, das 10 às 18 horas. Aos pés da roda será erguida uma estrutura de parque, com praça de alimentação e lojas com produtos diversos, desde suvenires até binóculos descartáveis.

Segundo o Ministério do Turismo, em 2018 cerca de 6,62 milhões de estrangeiros visitaram o Brasil. O Rio é o destino preferido. A construção da nova atração está rendendo 200 empregos diretos e indiretos, além das vagas que serão abertas com a operação da roda-gigante.”Após a abertura, serão 60 pessoas somente da Rio Star, fora os terceirizados que deverão chegar a mais ou menos 50 pessoas. Temos o objetivo de que pelo menos 15% de vagas sejam ocupadas por pessoas residentes nas comunidades próximas”, completou Bordin.

Ingressos

Nas primeiras semanas de funcionamento, quando toda a operação estará sendo ajustada, a entrada custará R$ 49. Depois, o ingresso poderá ser comprado por R$ 49 online e por R$ 59 na bilheteria. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora