Missa em Santa Catarina abre processo para beatificação de padre Léo


Uma missa às 16 horas deste sábado, dia 7, na Comunidade Bethânia, em São João Batista, a cerca de 80 quilômetros de Florianópolis, vai marcar o início do processo diocesano para a beatificação do padre Léo Tarcísio Gonçalves Pereira. Nascido em Biguá (MG), padre Léo morreu em 4 de janeiro de 2007, aos 45 anos, vítima de câncer. Ele acumula manifestações de fiéis que alegam ter tido graças pessoais, como curas e conversões. A abertura do processo foi autorizada pela Congregação para a Causa dos Santos, do Vaticano.

“Esta é a primeira fase do processo, quando a Igreja reúne relatos de graças e supostos milagres e documentos da obra dele para enviar um dossiê a Roma”, explicou o padre Lúcio Tardivo, que dirige o Instituto Padre Léo na Comunidade Bethânia, entidade fundada pelo religioso para trabalhar com pessoas carentes e dependentes químicos. “Na segunda fase, o Vaticano fará novo exame de todo o material enviado e dará um parecer sobre o caso”, contou o religioso.

Padre Léo era filho de uma família de 9 irmãos e desde criança gostava de encenar ritos católicos. Uma das graças a serem analisadas no processo de beatificação, etapa a ser percorrida para se transformar em santo, é a recuperação de uma menina vítima de parada respiratória. “Essa menina, do Rio, é um dos casos a serem estudados e analisados no processo”, explicou padre Lúcio. O centro de acolhimento em São João Batista, criado por padre Léo em Timbezinho, conta com 170 vagas e já atendeu mais de 6,5 mil pessoas em tratamentos contra dependência de drogas.

Santa Catarina já tem uma santa, Madre Paulina, de Nova Trento, canonizada em 2002, além dos dois religiosos no caminho da santificação, a beata Albertina Berkenbrock, de Imaruí, beatificada em 2007, e o padre Aloísio Boeing, de Vargem do Cedro, que está em fase de análise no Vaticano.

PASSO A PASSO PARA SER SANTO

1. Fiel católico morre com fama de santo ou mártir

2. Bispo diocesano investiga a autenticidade

3. Bispo dá início à causa de beatificação

4. Conferência episcopal apoia o início da causa

5. Início do processo no Vaticano

6. Candidato a beato ganha o título de Servo de Deus

7. Comissões de especialistas examinam a causa

8. Vaticano reconhece virtudes heroicas do Servo

9. Servo ganha título de Venerável

10. O postulador escolhe um provável milagre que aconteceu após a morte do Servo de Deus

11. Instituído um tribunal do milagre

12. Período de investigação do milagre

13. Envio do resultado a Roma

14. Exumação de restos mortais e transferência para local de fácil visitação e Beatificação

15. Postulador escolhe um provável milagre ocorrido após a beatificação

16. Novo tribunal sobre o milagre

17. Investigação sobre o milagre

18. Envio de constatação a Roma

19. Canonização

Fonte: Igreja Católica

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora