24 de julho de 2024 Atualizado 22:12

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano

‘Mais completo dinossauro’ é identificado no Reino Unido depois de 10 anos de pesquisa

Por Agência Estado

10 de julho de 2024, às 16h24

Mais de dez anos depois do início da investigação, um estudo revelou uma nova espécie de dinossauro que viveu há 125 milhões de anos. Com 149 ossos encontrados, esse é um dos mais completos fósseis já encontrados no Reino Unido.

“A descrição do animal é o resultado de anos de trabalho. Quase 150 ossos foram desenterrados, tornando-o, ao que tudo indica, o dinossauro mais completo encontrado no Reino Unido nos últimos 100 anos”, disse Jeremy Lockwood ao Natural Museum History, uma das instituições envolvidas no estudo.

A espécie Comptonatus chasei foi nomeada em homenagem ao paleontólogo Nick Chase, que, em 2013, descobriu os fósseis na Ilha de Wight, a cerca de 140 quilômetros de Londres.

Chase, no entanto, não pôde acompanhar a conclusão do estudo, publicado nesta terça-feira, 9, na revista científica Systematic Palaeontology. Ele morreu em 2019, vítima de um câncer.

O animal foi identificado como herbívoro – a classificação das espécies que se alimentam de algas e plantas – e faz parte do grupo Iguanodonte. Dinossauros desse mesmo grupo já foram localizados no Brasil, onde hoje fica o Estado da Paraíba.

O Comptonatus chasei pesava aproximadamente uma tonelada (peso similar a algumas espécies de hipopótamos) e os pesquisadores acreditam que ele tinha cerca de 6 anos na data de sua morte. Os ossos teriam sido enterrados sob plantas, rochas e outros detritos, o que contribuiu para sua preservação ao longo dos anos.

“Descobertas recentes sugerem que temos negligenciado o fato de que os Iguanodontes eram relativamente diversos. Não está claro se isso ocorre porque eles evoluíram mais rápido do que se pensava, ou se muitas espécies conviveram lado a lado. Esta é a próxima grande questão que precisamos tentar responder para entender esses dinossauros”, disse Lockwood.

Publicidade