Estádio Mané Garrincha se coloca à disposição para combater novo coronavírus


A concessionária Arena BSB, que administra o Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, colocou a arena mais cara da Copa do Mundo de 2014 à disposição do governo do Distrito Federal para o combate à pandemia do novo coronavírus. O estádio poderá ser utilizado como centro de triagem ou hospital de campanha pela Secretaria de Saúde.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, sinalizou ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) apoio à medida. “Já vistoriamos e é um bom local”, afirmou.

De acordo com a gestora do Mané Garrincha, a localização central do estádio pode aliviar a rede hospitalar para pacientes com maiores gravidades.

“Entendemos que disponibilizar a estrutura do estádio é assumir uma cota de responsabilidade social neste momento tão crítico. Estamos dispostos a colaborar em todas as ações necessárias para a minimização da epidemia e suas consequências”, afirmou o diretor presidente da Arena BSB, Richard Dubois, em nota.

Também nesta sexta-feira, 20, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou que vai implementar hospitais de campanha em dois locais da cidade: no Estádio do Pacaembu e no Anhembi. O estádio paulistano receberá 200 leitos.

Eventos

O grupo que administra o complexo esportivo do Mané Garrincha desde janeiro – em um contrato de 35 anos – informou ainda que adotou os protocolos de prevenção e controle das autoridades competentes. Por isso, tem viabilizado a remarcação de datas de todos os eventos previstos na área de concessão.

No último sábado, 14, o UFC Brasília foi realizado no Ginásio Nilson Nelson – também administrado pela Arena BSB – sem a presença de público, devido à pandemia da covid-19. Esse foi o primeiro evento da história da organização de MMA a ser realizado com portões fechados.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora