29 de setembro de 2020 Atualizado 11:00

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Brasil

Em meio a surto de coronavírus, SP teve aglomeração no Metrô e lentidão por 1h

Por Agência Estado

18 mar 2020 às 17:42 • Última atualização 18 mar 2020 às 18:56

Em meio ao surto do novo coronavirus, uma paralisação na linha 3-Vermelha do Metrô causou filas e aglomerações na noite desta terça-feira, 17, em São Paulo. O motivo foi a entrada de um passageiro nos trilhos que, segundo a companhia, fugiu após tentar furtar um celular.

Empresas e órgãos públicos têm tomado medidas para diminuir a circulação de pessoas na cidade e frear o ritmo de contágio do covid-19, com a recomendação para se evitar aglomerações. Nesta quarta-feira, 18, foram confirmadas a segunda e a terceira morte pelo vírus no País, na capital paulista. Apesar do movimento mais fraco de passageiros, a invasão da via causou lotações na maior parte das estações entre Barra Funda e Bresser-Mooca, onde ocorreu o problema.

Os trens circularam com velocidade reduzida na linha 3-Vermelha por cerca de uma hora, das 18h40 às 19h30. A paralisação teve início após uma pessoa acionar o botão de emergência da porta de um vagão e pular na via. Agentes de segurança seguiram este passageiro e os trilhos tiveram a energia cortada.

Passageiros que estavam no trem de trás, saindo da estação Brás, no sentido Itaquera, também apertaram botões de emergência e desceram na via. “Todos foram reconduzidos com segurança para a estação”, disse o Metrô, em nota. “A pessoa que provocou o tumulto conseguiu fugir. Depois, foi apurado que ele havia tentado furtar um celular no interior da composição.”

Questionado, o Metrô não respondeu quantas paralisações ocorreram no último mês, nem quais medidas tem tomado para prevenir infecções pelo coronavirus nas estações. As linhas têm operado normalmente nos últimos dias.

O Estado de São Paulo tem ao menos 196 pessoas diagnosticadas com o covid-19, nomenclatura oficial do novo coronavirus. O último balanço do Ministério da Saúde lista 291 casos no Brasil, número que está desatualizado em relação aos números oficiais divulgados nos Estados.

Publicidade