04 de junho de 2020 Atualizado 21:41

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Doria suspende aulas e recomenda cancelar eventos acima de 500 pessoas

Segundo a Secretaria de Educação, será feito um planejamento com as famílias e será dado um prazo de 10 dias para que pais e estudantes se organizem

Por Agência Estado

13 mar 2020 às 20:07 • Última atualização 14 mar 2020 às 08:34

Horas depois de afirmar que não havia necessidade de suspender aulas ou cancelar eventos no Estado, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), mudou de posição e disse nesta sexta-feira, 13, em coletiva de imprensa, que o ensino público vai suspender as aulas a partir do dia 23 e recomendou o cancelamento de eventos com mais de 500 pessoas.

Foto: Governo do Estado de São Paulo
Governador João Doria anunciou a suspensão das aulas a partir do dia 23

No ensino, as atividades serão suspensas de forma gradual a partir da próxima segunda-feira, dia 16. Até a segunda-feira seguinte, dia 23, as escolas continuarão abertas e terão orientações para as famílias dos alunos. Segundo a Secretaria de Educação, será feito um planejamento do governo junto com as famílias e será dado um prazo de 10 dias para que pais e estudantes se organizem. “Não faremos suspensão das aulas de qualquer maneira”, disse o secretário de Educação, Rossieli Soares da Silva.

De acordo com o secretário, ainda não há data para retorno às aulas. “Será feita uma avaliação momento a momento, hora a hora, sempre com diálogo com as famílias”, disse.

As mesmas medidas para rede pública de ensino do Estado serão tomadas pela prefeitura de São Paulo, disse o secretário municipal de Educação, Bruno Caetano. Doria disse ainda que fará recomendações para que as escolas particulares sigam o mesmo procedimento da rede pública.

Por volta de meio-dia, Doria havia dito, em coletiva de imprensa, que, com as informações que tinha à disposição e com o que ouviu de especialistas, não havia necessidade de suspender aulas ou cancelar eventos. “Não há nenhuma razão para pânico”, ele disse na ocasião.