06 de junho de 2020 Atualizado 18:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Doria lança ensino pela TV e por celular para 3,5 milhões de alunos de SP

Alunos poderão acessar as aulas disponibilizadas pelo aplicativo de forma gratuita mediante acordo firmado com companhias de telecomunicação

Por Agência Estado

03 abr 2020 às 14:46 • Última atualização 03 abr 2020 às 16:15

Foto: Governo de São Paulo
Na avaliação do governador de São Paulo, o mês de abril, que se inicia agora, é o mais duro do coronavírus

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira (3) o lançamento de uma plataforma de ensino pela TV e por aplicativo de celular para 3,5 milhões de alunos da rede estadual acompanharem as aulas da rede pública durante a quarentena imposta pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo o secretário de Educação, Rossieli Soares da Silva, os alunos poderão acessar as aulas disponibilizadas pelo aplicativo de forma gratuita mediante acordo firmado com companhias de telecomunicação.

Com a iniciativa, diz Rossieli, “os alunos poderão assistir aulas ao vivo e participar, interagir, tanto pela TV quanto pelo celular, por meio do aplicativo. A ideia é que cada vez mais o professor tenha esse papel fundamental, e o aprendizado possa acontecer em qualquer lugar e não só agora em meio à pandemia”, disse.

Na avaliação do governador de São Paulo, o mês de abril, que se inicia agora, é “o mais duro do coronavírus e o mais difícil da nossa crise”.

Aulas não podem ser retomadas sem prévia autorização do estado, diz Doria

Governador também disse que “as aulas não podem ser retomadas sem prévia e expressa autorização do governo de São Paulo”. Por causa da crise causada pela pandemia do novo coronavírus, Doria afirmou que “neste momento a quarentena impede a realização de aulas seja no campo público ou no campo privado em todos os níveis de educação”.

A orientação de isolamento foi emitida no dia 21 de março e, no momento de sua decretação, teria validade por 15 dias podendo o prazo ser estendido. “Se alguma escola privada comunicou ou orientou seus alunos professores e colaboradores para voltarem às aulas no dia 6, errou. Ela deve aguardar orientação do governo do Estado”, disse o governador durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

Nesta sexta-feira (3) o governo do Estado também comunicou que a rede pública de ensino deverá adotar uma ferramenta de educação à distância, cedida pela empresa Google, para 3,5 milhões de alunos para uso durante a crise do novo coronavírus e além.