14 de julho de 2020 Atualizado 22:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Em São Paulo

Cuidadora de médico idoso é presa após assalto que terminou em morte

Auxiliar de enfermagem de 38 anos é suspeita de participar de assalto que terminou com a morte do médico Murillo de Oliveira Villela, de 93 anos

Por Agência Estado

21 fev 2020 às 19:06 • Última atualização 22 fev 2020 às 07:49

Um auxiliar de enfermagem de 38 anos que trabalhava como cuidadora do médico Murillo de Oliveira Villela, de 93 anos, foi presa pela Polícia Civil nesta sexta-feira, 21, sob suspeita de ter participado do assalto que terminou na morte de Villela nesta quinta-feira, 20. Segundo a investigação, a mulher teria entregue as chaves do apartamento do médico para criminosos que invadiram o local e fugiram levando um cofre. Villela morreu após passar mal durante o roubo.

As informações foram divulgadas pela Polícia Civil nesta sexta. O caso foi investigado pelo 78.º Distrito Policial (Jardins). “A doutora passou mais de vinte horas se debruçando em cima do caso e pegando todos os rastros que o crime foi deixando, até conseguir desvendar esse delito bárbaro”, disse o delegado Albano David Fernandes, diretor de Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap), em referência à delegada Zuleika Gonzalez Araújo.

Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação
Murillo de Oliveira Villela tinha 93 anos e passou mal durante assalto

Segundo Zuleika, a conclusão da participação da cuidadora e a identificação de um dos outros três envolvidos se deu por meio de ferramentas de investigação e inteligência. “Foram encontradas contradições no depoimento da cuidadora. Ela acabou confessando que entregou as chaves do apartamento para o suspeito, informou sobre o cofre e confessou a participação no delito” explicou a delegada.

Agentes foram até a residência do suspeito, mas não o localizaram. A mulher dele foi conduzida à delegacia e questionada sobre as relações do homem com a cuidadora. “Na delegacia, a mulher informou que conhecia a cuidadora e também reconheceu o marido nas imagens”, apontou a delegada.

A Justiça decretou a prisão temporária da cuidadora e foi solicitada a prisão do suspeito identificado. A Secretaria da Segurança Pública informou que as investigações prosseguem para identificar e prender os outros dois envolvidos no crime. O diretor do Decap destacou a importância de se escolher com critérios funcionários que vão trabalhar dentro das residências. “É preciso ter muita cautela na hora de contratar um cuidador. É preciso conhecer a pessoa e checar os lugares onde ela já trabalhou. Todos os cuidados são necessários”, disse.