Cratera em rodovia engole veículos em Botucatu e mata caminhoneiro

Bombeiros encontraram corpo do motorista que teve o caminhão engolido pela cratera na Rodoria Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu


Equipes do Corpo de Bombeiros e de concessionária encontraram o corpo do motorista que teve o caminhão engolido pela cratera aberta por um temporal na rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu, na manhã desta segunda-feira, 10.

O veículo foi achado mais de um quilômetro distante do local onde o aterro da rodovia se rompeu, no km 258, devido à força da correnteza. O corpo estava na cabine. O homem, que até a noite não tinha sido identificado, é a primeira vítima fatal das chuvas intensas que atingiram o interior, principalmente Botucatu, na madrugada e manhã desta segunda.

Foto: Polícia Militar Rodoviária / Divulgação
Cratera surgiu na Rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu

Funcionários da concessionária que administra a via chegaram a ver quando o caminhão de pequeno porte foi tragado pela cratera, por volta das 5 horas da manhã, mas os bombeiros não localizaram o caminhão no buraco. Mesmo assim, as buscas foram iniciadas. Um automóvel também caiu no buraco, mas o motorista conseguiu sair e foi socorrido pela concessionária. A rodovia está com seis pontos de interdição devido às chuvas.

No fim da tarde desta segunda, os bombeiros buscavam os ocupantes de um veículo que teria sido arrastado pela enxurrada no distrito de Vitoriana, em Botucatu. As duas pessoas teriam caído com o carro em um córrego, na ponte do Capivarinha. Não se sabia a identidade dos possíveis desaparecidos.

Em Botucatu, o temporal destruiu estradas, pontes e casas. A ponte sobre o Rio Lavapés, que liga o bairro Boa Vista ao Bairro Alto, foi levada pela correnteza. As enxurradas foram tão intensas que um contêiner de aço usado para coleta de lixo foi parar sobre o capô de um carro.

Ao menos 30 pessoas estavam desabrigadas. A prefeitura decretou estado de calamidade pública e pediu ajuda ao governo estadual

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora