Coronavírus: Justiça suspende missas no Santuário de Aparecida

Santuário informou que já acatou a suspensão e que a medida é temporária; o prazo fixado pela juíza é de 30 dias, mas pode ser prorrogado


Por causa da pandemia do novo coronavírus, a Justiça determinou neste sábado, 14, a suspensão de missas e eventos no Santuário Nacional de Aparecida, maior templo católico do País, localizado na cidade de Aparecida, no interior de São Paulo. A juíza Luciene Belan Ferreira Allemand acatou ação proposta pelo Ministério Público, considerando a “ameaça de contaminação e disseminação da doença, por se tratar de medida de saúde pública, evitando-se, assim, a exposição de diversas pessoas ao vírus, bem como suas consequências”. O templo tem capacidade para acomodar 40 mil pessoas em torno do altar central.

O santuário informou que já acatou a suspensão e que a medida é temporária – o prazo fixado pela juíza é de 30 dias, mas pode ser prorrogado.

Foto: Divulgação
Missas no Santuário Nacional de Aparecida foram canceladas pela Justiça

A última missa presencial foi celebrada ao meio-dia deste sábado, mas o público não foi calculado. A Basílica e outras dependências vão continuar abertas à visitação do público. As missas continuarão sendo celebradas em espaço reservado aos padres, sem a presença do público, mas serão transmitidas pela TV Aparecida, rede de televisão católica sediada no santuário.

A proibição alcança as celebrações da Semana Santa, inclusive os ofícios da Sexta-Feira Santa, no dia 10 de abril – último dia do prazo fixado pela juíza. Se não houver prorrogação, o Santuário poderá retomar as celebrações no Sábado de Aleluia e no Domingo de Páscoa.

Conforme o Santuário, o prazo pode sofrer alterações “de acordo com novas orientações” e seus colaboradores estão orientados sobre as medidas preventivas para o coronavírus. Os espaços pequenos, como elevadores, auditórios e salas de reunião, terão seu número de usuários reduzido.

Também foi reforçada a frequência da higienização dos espaços comuns e o complexo de acolhida aos visitantes passou a contar com itens extras de higienização. O posto médico do Santuário Nacional criou e segue um fluxo de atendimento orientado pela Secretaria da Saúde. “A instituição mantém-se atenta a possíveis novas orientações dos dirigentes civis e religiosos para prontamente agir em favor do bem comum e, caso necessário, adotar novas medidas”, informou. Conforme a prefeitura, Aparecida não registra casos suspeitos ou confirmados da doença.

Até a noite deste sábado, a 57ª Assembleia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), prevista para ter início no dia 22 de abril, reunindo bispos de todo o País no Santuário Nacional, não tinha sofrido alteração em sua programação por causa do coronavírus. A CNBB informou que não emitirá uma determinação padronizada para todas as igrejas. Cada diocese deverá fazer a própria avaliação sobre estratégias para conter a disseminação do vírus.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora