23 de junho de 2021 Atualizado 08:41

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano

Consórcio para compra direta de vacinas atrai interesse de 1.703 prefeituras

Grupo de cidades interessadas soma mais de 125 milhões de habitantes, o que corresponde a cerca de 60% da população brasileira

Por Agência Estado

05 mar 2021 às 13:10 • Última atualização 05 mar 2021 às 17:30

Um total de 1.703 municípios, dentre os quais 23 capitais estaduais, formalizou interesse em compor o consórcio público a ser constituído pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) para comprar diretamente vacinas contra a Covid-19. Segundo a entidade, o grupo de cidades interessadas soma mais de 125 milhões de habitantes, o que corresponde a cerca de 60% da população brasileira.

As três capitais que, por ora, ficariam ausentes do consórcio são Macapá (AP), Vitória (ES) e Natal (RN).

Na última quarta-feira (3), o presidente da FNP, Jonas Donizette (PSB), afirmou que o anúncio do governo federal de que comprará as vacinas da Pfizer e da Janssen não conflita com a construção do consórcio de municípios, já que, segundo ele, o propósito da iniciativa sempre foi estruturar uma ação complementar à do Ministério da Saúde.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

“Talvez a adesão maciça dos prefeitos tenha até ajudado o governo a tomar essa decisão. Jamais saberemos se o empurrão foi nosso, mas isso pouco importa”, escreveu o ex-prefeito de Campinas (SP) no Twitter. “O que nos interessa, mesmo, é que a vacinação dos brasileiros seja um fato, não uma promessa.”

Donizette relatou ainda que, mesmo que o governo federal compre todas as vacinas, o consórcio liderado pela FNP continuará sendo necessário para comprar medicamentos, insumos e equipamentos “com possibilidade de negociação de preços melhores, poupando recursos públicos”.

Publicidade