Cerca de 122 mil queimadas foram registradas neste ano

Segundo monitoramento do Inpe, quase metade dos focos de incêndio foram registrados na Região Norte


Os focos de incêndio em áreas rurais são recorrentes em épocas de seca e podem ser um grande problema tanto para produtores como para o meio ambiente. Até o momento, foram registradas quase 122 mil queimadas no Brasil neste ano, segundo monitoramento do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Quase metade desses focos ocorreram na região Norte. Não à toa, a Amazônia foi o bioma mais afetado pelo fogo.

De acordo com Paulo Figueiredo, consultor técnico de produtos da Husqvarna, o maior fabricante global de equipamentos para manejo de áreas verdes além de incêndios criminosos, há também o risco de queimadas acidentais. Nesse caso, áreas nas margens de rodovias com pastagens secas são mais vulneráveis.

Em entrevista o programa Liberal No Ar, exibido pelas emissoras de rádio Você (AM 580) e FM Gold (94.7), o especialista explicou como é possível como combater focos de incêndio em zonas rurais, evitando incêndios acidentais. Uma das recomendações do consultor é não deixar objetos metálicos ou cacos de vidros na vegetação. Ouça.

Ainda segundo Figueiredo, quando o incêndio for controlado e apagado, a preocupação maior é com a recuperação da área afetada. Se o foco ocorreu em local de vegetação nativa, como o cerrado, por exemplo, o ideal é deixar a própria natureza fazer a recuperação e apenas monitorar a região para evitar novas queimadas.

Entretanto, se o incêndio ocorreu em uma plantação, será preciso uma análise do solo para entender melhor quais são as necessidades nutricionais da cultura afetada.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora