16 de janeiro de 2021 Atualizado 16:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Covid-19

Centro de Contingência alerta para eventos após as 22h

João Gabbardo definiu que eventos noturnos são hoje um dos fatores mais significativos para aumento de casos

Por Marina Zanaki

11 jan 2021 às 15:43 • Última atualização 11 jan 2021 às 15:45

Médico lembrou que o Plano São Paulo proíbe realização de eventos após as 22h - Foto: Governo do Estado de São Paulo

Eventos realizados à noite são um dos fatores mais “significativos” para o aumento dos casos, internações e mortes pelo novo coronavírus (Covid-19) atualmente em São Paulo. O alerta é do coordenador executivo do Centro de Contingência Covid-19, João Gabbardo.

Em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (11) no Palácio dos Bandeirantes, o médico lembrou que o Plano São Paulo proíbe realização de eventos após as 22h.

No final de semana, Americana registrou uma festa com cerca de 500 pessoas após esse horário. O evento só não foi interrompido pois a Gama (Guarda Municipal de Americana) alegou que não sabia antecipadamente da festa e não tinha mobilizado contingente suficiente.

A realização de eventos vem sendo registrada em todo o Estado em meio à disparada de casos e hospitalizações. Na semana passada, o Estado de São Paulo registrou a maior média móvel de internações e óbitos desde agosto. Em relação à última semana do ano, houve crescimento de 63% nos casos, 49% nas mortes e 15% nas internações.

“Os dados são impactantes. É uma situação que fica cada vez mais grave e medidas precisam ser tomadas. Na última apresentação do Plano São Paulo (sexta-feira), foram apresentadas algumas novas orientações do Centro de Contingência que talvez tenham que ser reforçadas”, disse João Gabbardo.

“Mesmo na fase amarela, o plano estabelece que após as 22h não deve funcionar nenhuma atividade que não seja essencial. Quem não tiver uma justificativa plausível para deslocamento deve ficar em casa. Isso é fundamental para que tenha redução no contato entre as pessoas, no risco de aglomeração, principalmente em eventos que acontecem à noite e que hoje são os mais significativos para o aumento desses dados”, finalizou o médico.

Na sexta-feira, a RPT (Região do Polo Têxtil) chegou à marca de mil mortes provocadas pela pandemia. Dezembro foi o segundo mês com mais casos positivos registrados desde o início da pandemia em Americana. O número está relacionado a um maior acesso aos testes, que estão identificando casos mais leves, mas também a um avanço do contágio nas últimas semanas do ano.

Publicidade