Carnaval no Rio começa em janeiro e deve durar ao menos 50 dias

Estrutura montada na praia de Copacabana para o réveillon sequer será desmontada e servirá de palco para a abertura oficial da folia, no dia 12


O carnaval de 2020 começa ainda em janeiro e vai durar nada menos que 50 dias na capital fluminense. Foi o que anunciou nesta quinta-feira, 2, a Riotur, a empresa de turismo do município do Rio. Por conta disso, a estrutura montada na praia de Copacabana para o réveillon sequer será desmontada e servirá de palco para a abertura oficial da folia, já no próximo dia 12.

O objetivo é manter na cidade parte dos turistas brasileiros e estrangeiros que viajaram para o réveillon – um número recorde de 1,7 milhão de pessoas. A prefeitura espera que ao menos 300 mil participem da abertura da festa, que contará com show do Bloco da Favorita e a final do concurso Corte Real, que vai eleger o rei momo, a rainha e a princesa do carnaval.

Foto: Fernando Maia / Riotur
Carnaval no Rio de Janeiro terá 50 dias de duração neste ano

“Como a gente está focado em lotar a cidade com turistas, são ações como essa que comprovam e fortalecem nossa vocação”, afirmou o presidente da Riotur, Marcelo Alves. “A cidade inteira estará ocupada com a folia para que a gente bata novos recordes.”

Na festa de abertura do carnaval, a Riotur vai anunciar o calendário oficial dos blocos de rua, um dos pontos altos dos festejos na cidade. Os desfiles das escolas de samba no Sambódromo ocorrerão entre os dias 21 e 24 de fevereiro. O desfile das campeãs, também no Sambódromo, será dia 29. O carnaval só termina no dia primeiro de março.

A decisão de estender o carnaval veio depois da avaliação de que o réveillon foi um sucesso. A festa a céu aberto recebeu 2,9 milhões de pessoas somente na praia de Copacabana. Pesquisa realizada com 1.312 turistas que estiveram na cidade entre 26 e 31 de dezembro revelou que a cidade ganhou uma nota média bem alta, de 8,7 em uma escala de zero a dez. Os visitantes de São Paulo lideraram com 29,6%, seguidos de Goiás com 14,1% e Rio Grande do Sul com 12,5%.

Números do Sindicato dos Meios de Hospedagens do Município do Rio mostram que a ocupação hoteleira na noite da virada em Copacabana e no Leme chegou a 100%.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora