10 de abril de 2021 Atualizado 17:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Imunização

‘Quando o último brasileiro for vacinado, eu vou decidir se me vacino’, diz Bolsonaro

Aos 66 anos, presidente da República já poderá se vacinar a partir deste sábado em Brasília

Por Agência Estado

01 abr 2021 às 21:15 • Última atualização 02 abr 2021 às 08:59

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quinta-feira que ainda irá decidir se vai se vacinar ou não contra a Covid-19. Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, ele argumentou que já contraiu o vírus e, por isso, iria decidir sobre sua imunização quando o “último brasileiro for vacinado”.

Ainda nesta quinta-feira, 1°, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), informou que a vacinação contra a Covid-19 será ampliada para as pessoas acima de 66 anos a partir deste sábado. Bolsonaro completou 66 anos no dia 21 de março.

“Está uma discussão agora que eu vou me vacinar ou não vou vacinar. Eu vou decidir. O que eu acho: eu já contraí o vírus”, comentou em transmissão ao vivo nas redes sociais hoje. “Eu acho que o que deve acontecer, depois que o último brasileiro for vacinado, sobrando uma vacina, daí eu vou decidir se vacino ou não. Esse é um exemplo que um chefe tem que dar”, disse.

Em declarações anteriores, Bolsonaro reiterou que não iria tomar a vacina porque já havia contraído coronavírus. Ele foi diagnosticado com a doença em julho de 2020. No entanto, casos de reinfecção têm sido registrados no País, além de novas variantes do vírus. Em mais de uma ocasião, Bolsonaro também questionou a eficácia e segurança dos imunizantes, sempre destacando que são de caráter “experimental”, mesmo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado o uso de imunizações no País.

A alta nas mortes e casos de covid-19 em março, porém, fez o presidente e o governo ajustarem o discurso quanto à vacinação. O chefe do Executivo e aliados passaram a defender a imunização para a retomada da economia. Do alto escalão do governo, foram vacinados os ministros Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, de 73 anos, e Paulo Guedes, da Economia, de 71 anos, além do vice-presidente Hamilton Mourão, que tem 67 anos.

Meta

Bolsonaro prometeu vacinar um milhão de brasileiros por dia já “nos próximos dias”. “Pretendemos ao longo dos próximos dias aplicar um milhão de doses por dia no Brasil”, afirmou. Desde o início da vacinação no fim de janeiro, foram 17,6 milhões de pessoas vacinadas, 8,32% do total da população brasileira. Mesmo com o número muito aquém do tamanho da população, de 211,8 milhões de habitantes, o presidente voltou a repetir que o País está entre os melhores no ranking da imunização no mundo. “O Brasil está entre os 10 países em números absolutos em que mais se aplica a vacina”, insistiu.

Publicidade