16 de julho de 2024 Atualizado 10:01

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Brasil e Mundo

Ataque com soda cáustica: MP acusa ex-namorado como mandante de agressão no PR

Por Agência Estado

03 de julho de 2024, às 21h50 • Última atualização em 04 de julho de 2024, às 09h11

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) denunciou, por tentativa de homicídio, um homem de 28 anos como mandante do ataque com soda cáustica contra uma jovem de 23 anos em Jacarezinho, no interior do Estado, em 22 de maio. Ele é ex-namorado da vítima e teria ordenado que a atual companheira a atacasse.

Isabelly Aparecida Ferreira Moro recebeu alta do hospital em 8 de junho e se recupera em casa das queimaduras.

O homem está preso desde 23 de fevereiro por outro crime (um roubo) e, segundo o MP-PR, foi o mandante da tentativa de homicídio. A denúncia contra ele foi juntada na denúncia e divulgada nesta quarta-feira, 3. A Justiça ainda não se manifestou sobre a acusação contra o homem. A denúncia contra a executora do ataque já foi aceita e a mulher se tornou ré nesse processo.

Segundo o MP-PR, as informações legalmente extraídas do telefone celular da denunciada permitiram concluir que o marido planejou o crime e, mesmo preso, apoiou os atos preparatórios, convencendo a mulher a aderir ao plano e executá-lo, estudando a rotina da vítima e atacando-a de surpresa quando estava a caminho da academia.

Os áudios armazenados no telefone demonstraram que o denunciado tinha domínio do fato criminoso e esclareceram sua motivação.

Com as informações extraídas do celular, a Polícia Civil pediu à Justiça que fosse decretada nova prisão preventiva contra o investigado e instaurou um inquérito para apurar sua conduta.

O MP-PR manifestou-se a favor da decretação da prisão, mais uma acumulada pelo investigado. Concluída a investigação, ofereceu denúncia contra ele, imputando-lhe o crime de homicídio qualificado, na modalidade tentada.

Para o MP-PR, as qualificadoras aplicadas ao casal são uso de meio cruel e de recurso que dificultou a defesa da vítima, feminicídio (crime cometido conta mulher por razões da condição do sexo feminino) e motivo torpe, pois o delito foi cometido pelo homem em razão do sentimento de posse que nutria em relação à ex-namorada e de vingança pelo término do relacionamento, enquanto a denunciada agiu motivada por ciúme e inveja da vítima.

Até a publicação deste texto, a reportagem não conseguiu localizar representantes legais do casal acusado pela tentativa de homicídio. O espaço segue aberto a manifestações.

Publicidade