Aprender só o be a bá já não basta

Cada vez mais cedo, as crianças entram nas salas de inglês e aprendem brincando o que vão usar por toda a vida


Em um mundo globalizado, falar apenas o português dá uma sensação de isolamento. A tecnologia ajuda o quanto pode na hora de traduzir algumas frases, mas nada como dominar a língua estrangeira para se sentir um cidadão do mundo.

Por isso, o ditado de “quanto mais cedo, melhor” é sempre válido. Com apenas dois anos, a criança já pode ser inserida no universo do inglês, língua essa que a ajudará durante toda a vida, inclusive na pós-graduação, onde o segundo idioma é requisito obrigatório.

Leia mais na edição de outubro da Revista L que está imperdível.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora