Após críticas de Bolsonaro, Salles e presidente da Embratur viajam a Noronha


O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, vão a Fernando de Noronha esta semana para reunião com representantes da concessionária EcoNoronha, responsável pela administração das visitas no parque marinho da Ilha.

No último final de semana, o presidente Jair Bolsonaro criticou o custo do ingresso pago por turistas para visitar o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha. Em postagem no Facebook, Bolsonaro classificou a taxa como “roubo praticado pelo Governo Federal”.

O valor da taxa é de R$ 106,00 para turistas brasileiros e R$ 212,00 para estrangeiros, o que, na opinião do presidente, explica porque “quase inexiste turismo no Brasil”.

Segundo o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, o presidente quer analisar custos e valores de contratos, a fim de que “concessionárias e governo federal possam encontrar pontos para redução de valores”, mencionando que se referia ao caso de Fernando de Noronha.

“Na quinta, Salles e Gilson vão para Fernando de Noronha para, juntos, com representantes da concessionária daquela ilha, organizar estudos para tentar reduzir preços das tarifas de forma consensual”, disse o porta-voz.

Hoje, o presidente da Embratur teve duas reuniões com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto para discutir o assunto.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora