29 de junho de 2022 Atualizado 21:50

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Rodovia

Acidente com ônibus e carreta na BR-163, em Mato Grosso, deixa onze mortos

Além dos óbitos informados, o acidente nesta terça-feira ainda deixou dezenas de pessoas feridas

Por Agência Estado

17 de maio de 2022, às 22h23 • Última atualização em 17 de maio de 2022, às 22h38

Pelo menos onze pessoas morreram e 35 ficaram feridas gravemente em um acidente entre um ônibus de transporte de passageiros e uma carreta, no km 799 da BR-163, em Mato Grosso, nesta terça-feira. A informação foi confirmada pelo comandante adjunto do batalhão do Corpo de Bombeiro de Sinop, capitão Diego Oliveira dos Reis, que participou da operação de resgate.

O ônibus pertence à empresa Itamarati e teria saído de Cuiabá com destino a Sinop, cerca de 500 km da capital. Já a carreta seguia de Sinop para Rondonópolis. O acidente aconteceu entre Sorriso e Sinop, no trevo que dá acesso ao município de Vera, por volta do meio dia.

O capitão Reis informou que participaram da operação de resgate os batalhões do Corpo de Bombeiro de Sinop e Sorriso. Ao todo estavam no ônibus 43 pessoas, sendo 42 passageiros e o motorista. O motorista do ônibus ficou prensado e foi retirado pelos socorristas da concessionária Rota Oeste que administra a rodovia. O motorista teve o braço esquerdo amputado. Ele passou por cirurgia no hospital regional de Sorriso e em seguida foi levado para a UTI.

O capitão contou que quando os bombeiros chegaram ao local foram informados que algumas vítimas foram socorridas por terceiros. Os feridos foram transportados pelos bombeiros de Sinop e Sorriso e pela Rota Oeste. Duas pessoas em estado mais grave foram levadas pelo helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e cinco socorridas por ambulâncias privadas. A PRF deu apoio logístico com três viaturas e sete agentes. Os feridos foram encaminhados para hospitais de Sinop e Sorriso.

Para o inspetor da Policia Rodoviária Federal (PRF) Leonardo Ramos, o trecho é conhecido por ser um espaço de ações imprudentes por parte de motoristas.

Embora não possa afirmar o motivo do acidente, o perito criminal, Leandro Valendorf disse que foi possível verificar que houve “invasão de faixa por parte do motorista do ônibus”. Segundo ele, existia marca de frenagem produzida pelo ônibus que parou a cerca de 20 metros do local da colisão lateral entre o ônibus e a carreta.

Publicidade