25 de Maio de 2020 Atualizado 08:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

PROTEÇÃO

Abaixo da meta, Saúde convoca crianças e mães para se vacinar contra gripe

Cobertura vacinal é inferior a 20% para menores de 6 anos, gestantes e puérperas; última fase da campanha começa na segunda-feira

Por André Rossi

18 Maio 2020 às 08:12 • Última atualização 18 Maio 2020 às 15:05

A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo está convocando mães e crianças para se vacinar contra a gripe porque a cobertura está abaixo do esperado. A meta é atingir 90% de um total de 3 milhões de crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, 451 mil gestantes e 74 mil puérperas (mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias).

Na RPT (Região do Polo Têxtil), as doses das vacinas estão disponíveis nos postos de saúde para todos os grupos prioritários, alvos da campanha.

Até a última quinta-feira (14), compareceram aos postos somente 430.872 crianças (14,1% de cobertura vacinal), 79.654 gestantes (17,7%) e 13.663 puérperas (18,4%)

Historicamente, a adesão é contida entre mães e menores. Segundo o Estado, neste ano o balanço é um pouco melhor em comparação ao ano passado, mas ainda aquém do que é preciso.

A diretora de Imunização da Secretaria de Saúde, Nubia Araújo, reforça que a vacina é segura e não causa gripe. A importância de prevenção em um momento de pandemia também foi mencionada.

“Estão circulando doenças respiratórias, como a gripe e a Covid-19, e toda medida preventiva é necessária. Ir ao posto rapidamente para se vacinar é um gesto de cuidado individual e coletivo”, afirmou Nubia.

A campanha acaba em 5 de junho e a partir de segunda-feira (18) começa a última fase, disponível para dois milhões de adultos de 55 a 59 anos de idade, além de professores de escolas públicas e privadas.

O objetivo é vacinar 90% da população-alvo de 15,4 milhões de moradores contra o vírus Influenza. Até 14 de maio, 10,5 milhões estavam vacinados.

Já foi atingida 100% de cobertura dos seguintes públicos: 5,6 milhões de idosos; 1,3 milhão de profissionais da saúde (100%) e 5,8 mil indígenas.

Coronavírus

A vacina contra a gripe não imuniza contra o novo coronavírus, mas a campanha é fundamental para reduzir o número de pessoas com sintomas respiratórios nos próximos meses, segundo o secretário de Saúde do Estado, José Henrique Germann.

“Além de proteger a população contra a Influenza, precisamos minimizar o impacto sobre os serviços de saúde em meio a pandemia de Covid-19, já que os sintomas destas doenças são semelhantes”, comentou.

Podcast Além da Capa
Diante da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), em virtude da determinação de paralisação de atividades econômicas e do isolamento social forçado pela quarentena, o reflexo no mercado de trabalho é um dos principais termômetros para medir os danos. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira conversa com o repórter George Aravanis, que trata do aumento dos pedidos de seguro-desemprego e acompanha os anúncios de suspensões de contrato de trabalho em empresas da RPT (Região do Polo Têxtil).