Versão Black Bow Tie tenta incomodar rivais

Ideia é rejuvenescer a imagem com um visual mais esportivo e preço atraente; base é a versão mais simples LT


Em outros tempos, sedãs médios eram os grandes objetos de desejo do consumidor e a Chevrolet dominava amplamente as vendas no segmento no Brasil. Hoje as coisas mudaram. Os SUVs compactos comprimiram o mercado dos sedãs médios e, a rigor, apenas três modelos estão na disputa. O Toyota Corolla, que lidera com folga, seguido por Honda Civic e Chevrolet Cruze bem atrás na disputa. Como sobrevivente viável no segmento, a marca norte-americana trata de buscar ampliar seu poder de atração. Como fez ao lançar a versão Black Bow Tie na linha 2019.

A ideia foi rejuvenescer a imagem do Cruze com uma versão com visual mais esportivo e preço atraente. Por isso, a base da nova versão foi a mais simples da linha, LT. A lógica repete a do rival Honda Civic, tem justificado o menor nível de equipamentos da versão Sport com o conceito de modelo jovem. O Cruze Black Bow Tie se diferencia por trocar o dourado do clássico emblema da gravatinha pelo preto.

Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias
Chevrolet Cruze Black Bow Tie

Além disso, tem também a nome do modelo em preto e rodas de liga leve escurecidas. Ele ainda traz tapetes em carpete. O pacote encarece o modelo em R$ 2 mil em relação ao LT e o preço vai a R$ 99.790.
Apesar do aspecto mais malvado, não houve alterações mecânicas no modelo. Sob o capô, o Black Bow Tie traz o mesmo propulsor 1.4 Turbo com injeção direta e duplo comando variável. Ele rende 150/153 cv de potência e 24/24,5 kgfm de torque com gasolina/etanol.

O câmbio é automático sequencial de seis marchas, com mudanças por articulação na alavanca. Com este conjunto, o Cruze faz de zero a 100 km/h em 9 s. A suspensão mantém a clássica combinação de McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira.

Foto: Jorge Rodrigues Jorge / Carta Z Notícias
Chevrolet Cruze Black Bow Tie

Mesmo sendo baseada na versão de entrada da linha, o Black Bow Tie tem um nível razoável de equipamentos. Airbags frontais e laterais, alarme, controle de tração, controle eletrônico de estabilidade, faróis de neblina, sensor de estacionamento traseiro, sistema de monitoramento de pressão dos pneus, ar-condicionado com controle eletrônico, câmara de ré, computador de bordo, controle de velocidade de cruzeiro, sistema start/stop e central multimídia com de 7 polegadas com espelhamento de smartphones.

A retirada dos brilhos na carroceria valorizou as linhas “enervadas” do Cruze. Os traços buscam valorizar as linhas horizontais, com faróis afilados. O capô tem uma curvatura acentuada e três vincos.

De perfil, a última coluna alongada tem um caimento suave, que empresta um jeito de cupê. As linhas da traseira são horizontalizadas. No geral, o desenho é harmônico. E mesmo que as diferenças da versão Black Bow Tie sejam o que se pode chamar de “perfumaria”, não deixa de ser um atrativo para as vendas.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora