Malhação com 'responsa'

Ditadura do corpo perfeito lota as academias de gente que, nem sempre, sabe o que está fazendo


Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Malhar por conta não é o caso de André e Larissa Alves Corrêa, 17
“Em vez de chegar e alongar, eu aqueço. Coloco metade do peso que aguento, faço uma quantidade de repetições para aquecer o músculo, para o meu corpo entender a atividade física”, a fala parece de algum especialista em exercício ou um homem que frequenta há anos o universo na academia. Mas não. Quem solta essa informação com toda autoridade é André Brunhara Saura, estudante de 15 anos.

A intimidade com a rotina e até mesmo os cuidados de como deve ser feita a musculação só reforça a tese do aumento de adolescentes puxando peso e correndo nas esteiras.

Um estudo realizado em escolas públicas e particulares de Belo Horizonte e Minas Gerais com 1.183 alunos e faixa etária entre 6 e 18 anos, mostrou que a maioria dos alunos (62,6%) está insatisfeita com o seu corpo. Desta porcentagem, 33,7% gostaria de ser mais magro e 28,9% queria ter mais gordura. As informações são do personal trainer e gestor e academias Marco Aurélio Del Larovere.
[img-1]O problema está no que essa insatisfação resulta. “Eles procuram resultados imediatos, suplementos alimentares sem a orientação de um nutricionista, não seguem as orientações do professor e fazem treinos encontrados na internet ou junto aos amigos, que não são específicos para cada pessoa. Não procuram saber se o professor ou personal que contratou é devidamente registrado no CREF e está legalmente apto a atendê-lo. Esses são erros comuns da faixa etária”, alerta.

E você, está embarcando em canoa furada?

Malhar por conta não é o caso de André e Larissa Alves Corrêa, 17. Ambos estão sendo orientados a ter paciência e fazer tudo de forma correta, como deve ser.

O adolescente entrou na academia há seis meses com o objetivo de ter um condicionamento físico melhor e ganhar massa muscular. Ele conta que tenta ir quatro vezes por semana, mas na temporada de provas fica complicado seguir a rotina.

Quando vai, passa uma hora e meia nos aparelhos e intercala um dia sim, um dia não, 30 minutos na escola. “Também fico atento com a alimentação e tomo suplementos para ganhar massa magra. Mas é tudo orientado. Vou na ‘nutri’ uma vez a cada duas semanas”, afirma André, que perdeu dois quilos e sente que ganhou alguns centímetros no braço e no peito.

Larissa está há um mês indo seis vezes por semana na academia. O foco da jovem é definir o corpo, principalmente perna e bumbum. “Eu fiz uns sete anos de dança e estava parada. Escolhi a musculação para retomar a vida ativa”, destaca.

Como aluna aplicada, ela diz que faz “tudo certinho”. A medida é uma forma de evitar lesões e dores desnecessárias. Mas com alimentação ela diz que tem mais liberdade. “Eu como de tudo, não tenho uma dieta certinha. Para mim, o resultado está sendo muito bom”.

Rolou na mídia

Em fevereiro deste ano, bombou na internet o nome de Anna Clara Lagares, uma menina de 9 anos que ficou conhecida como “blogueira fitness”.

A jovem postava fotos nas redes sociais de sua “rotina” de musculação, o que causou grande alvoroço.

Apesar de declarar o amor pela atividade física e de ter o acompanhamento extremo do pai, personal trainner, o perfil dela no Instagram (com mais de 21 mil curtidas) saiu do ar.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora