Cronologia x biologia

Manter a estética é bom, mas também é importante casar essa preocupação com a saúde, o que só é possível com algumas atitudes saudáveis cotidianas


Perguntar idade para uma mulher e receber um “quantos anos você acha que eu tenho?” pode ser uma faca de dois gumes. Ou você pode arrancar um belo sorriso ou a inimizade eterna. Isso porque tem sido cada vez mais difícil coincidir a idade biológica com a cronológica. Graças aos avanços da tecnologia farmacêutica e facilidade ao acesso da informação, o que tem ocorrido é um “boom” de senhoras com rostinho de balzacas. Mas nem sempre ter uma casca perfeita reflete um corpo saudável.

Para o especialista Fábio Cardoso, o que vem acontecendo é um investimento maciço em manter a aparência rejuvenescida com cosméticos e tratamentos estéticos. O resultado é um aumento de pessoas bonitas, mas doentes. Um exemplo é o aumento no número de diabéticos no Brasil. Em 2014, o Ministério da Saúde divulgou que 6,9% da população possui a doença. Em 2006, esse índice era de 5,5%. O público mais atingido é de mulheres e idosos, mas os fatores predominantes para o aumento são o sedentarismo e a obesidade.

No entanto, segundo Cardoso, este número pode mudar. A busca pelo estilo de vida fitness está em alta. “Hoje em dia estamos voltando a velha medicina da prevenção. Quando a gente faz tudo direito e se cuida, temos envelhecimento saudável, chamado de senescência. A pessoa morre por velhice. Mas o comum ainda é morrer por conta de alguma doença. A medicina tem tratado as doenças, mas não tem curado. Ai não tem jeito. A pessoa vai envelhecer mais rápido, mesmo com todo o tratamento estético existente”, alerta.

Um estudo feito por epidemiologistas da University of Cambridge durante 11 anos com 2.600 pessoas acima dos 55 anos avaliou as taxas de mortalidade. Em todos foi visto quatro hábitos: não beber, ou no máximo beber pouco; exercitar-se diariamente; comer 5 porções de frutas e vegetais; não fumar. Foi constatado que quanto mais presente esses hábitos, menor a mortalidade e um prolongamento da vida em até 14 anos.

Segundo Cardoso, 75% das causas e motivos do envelhecimento estão relacionadas ao estilo de vida, lugar onde mora e outras escolhas diárias como alimentação e rotina de exercícios. “Apenas 25% é culpa da genética, que só começa a contar a partir dos 75 anos. Até lá, a culpa é nossa. Por isso o importante é ser saudável e isso acaba refletindo na pele por mais tempo. Tudo aquilo que são atalhos estéticos servem por um período, mas não são soluções definitivas. Pode ter um momento em que nem 300 botox farão um resultado melhor do que se você tivesse 20 anos e fizesse escolhas melhores”, reforça.

Vem de família
E como saber o que vem no pacote de 25% da carga genética? Para o especialista, uma boa forma de descobrir é conversar com os familiares, descobrir quais foram as doenças mais comuns entre os anciões da família e aprender com os erros e acertos de cada membro. “O melhor teste genético para saber qual a sua predisposição genética é perguntar a saúde e a história dos entes mais velhos. Vai se perceber que muitas histórias se repetem, como doenças em comum”, explica.

De acordo com Cardoso, para não fazer parte da estatística familiar, a prevenção ainda é a saída. “Se a pessoa mantiver uma vida saudável na juventude, pode ser que ela tenha a mesma doença, mas não será na mesma intensidade ou com menos complicações”.

Mas se os 20 ou 30 anos são apenas recordações em álbum de foto, não perca a esperança. Cardoso enfatiza que nunca é tarde para rever suas escolhas e começar uma vida nova. “Se a gente puder ter uma vida equilibrada desde o momento que nasce e fazer opções saudáveis durante toda a vida, ótimo. Mas a possibilidade de resultado pode vir depois dos 40 ou 50 anos, principalmente quando mexe na alimentação e hidratação. Depois de um período de quatro a oito semanas o corpo já mostra mudança”.

Foto: Dener Chimeli/ O Liberal
Maria Alice Ximenes, vai completar 51 anos, mas ninguém é capaz de sugerir essa idade
Uma vida mais leve
A professora e consultora de imagem pessoal Maria Alice Ximenes, vai completar 51 anos, mas ninguém é capaz de sugerir essa idade logo de cara quando a vê. “Minha genética é boa”, declara. Quando sai com a filha de 27 anos, ela conta que os amigos se espantam ao ouvir o “mãe”. “Somos muito parecidas e as pessoas costumam achar que somos irmãs”.

Para manter a cute de mocinha, ela diz não seguir muitos esforços. Comer em casa e procurar fazer as coisas a pé são alguns dos seus hábitos diários. “Além de tudo, esta prática faz com que o cérebro libere a serotonina e isso cria uma disposição e bem-estar que estimula o rejuvenescimento”, aponta.

Maria Alice também não abre mão dos cremes. Manter a pele sempre muito limpa e usar cremes anti-idade fazem parte da rotina. Mas nem sempre foi assim. “Comecei a me cuidar melhor desde que me mudei para o interior. Antes, quando morava em São Paulo, eu tinha hábitos ruins, dormia pouco, trabalhava muito, me alimentava de qualquer coisa que fosse ‘fast’, não fazia exercício algum e fumava. Considero que minha qualidade de vida aumentou”, recorda.

Apesar das mudanças significativas na rotina da vida, a professora acredita no poder da felicidade para se manter jovem. “Pessoas felizes são mais jovens e bonitas. Precisam ser menos ambiciosas e mais ligadas em qualidade de vida, para poderem viver mais e melhor. Aí está o segredo, na simplicidade”.

Converta sua vida
Pequenos cuidados, feitos por anos seguidos, têm um poder de piorar ou melhorar a tua idade biológica. Para prolongar seus dias na terra, siga algumas orientações bem simples

Beba mais água

Tenha uma ótima alimentação, dando prioridade a frutas, legumes, verduras e fibras no seu cardápio diário

Durma bem e mais. É neste momento que o organismo renova várias células

Tome sol pelo menos 20 minutos por dia. Expor o corpo à luz solar ajuda a estimular produção de serotonina e vitamina D (nossa melhor vacina anticâncer)

Cuide bem do seu intestino. Ele é responsável pela absorção de nutrientes e entrada de toxinas na circulação sanguínea

Mexa-se! Deixe o sedentarismo de lado e movimente-se

Se fuma, deixe o cigarro. Se não, nunca caia nesse vício

Pare de beber. Se for muito difícil, diminua a quantidade
[img-1]Casos famosos
Annette Larkins tem 72 anos, mas já se passou por alguém com um pouco mais de 20 anos. Com casos recorrentes de diabéticos na família, ela resolveu seguir uma dieta regrada com direito apenas a alimentos orgânicos e crus, tudo cultivado pela mesma. Detalhe: nunca fez nenhuma intervenção cirúrgica.

A cozinheira Nigella Lawson, 54, é dona de uma cute invejável. Ela já disse que o segredo é não tomar sol, muita alegria, água (3 litros por dia) e uma alimentação regrada, mas sem muitas restrições. O acompanhamento médico continuo também é uma das dicas da cozinheira inglesa.
[img-2]Leticia Spiller tem 40 anos, dois filhos adolescentes e ostenta um corpo de dar inveja. Para isso, diz que o segredo da sua beleza não passa por nenhum tipo de milagre. Alimentação saudável e atividades como ioga, balé e academia fazem parte de sua rotina.

Fonte: Fábio Cardoso

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora