Morte por hidrogel gera polêmica nas redes sociais

Morte de jovem de 18 anos após aplicar hidrogel no pênis, em Ribeirão Preto, levanta discussão nas redes sociais


Foto: shutterstock
Hidrogel usado por jovem é proibido pela Vigilância Sanitária
O uso de hidrogel para destacar determinadas partes do corpo, como as coxas e as nádegas vem fazendo um número cada vez maior de vítimas.

A última notícia, do rapaz de 18 anos que morreu após aplicar a substância no pênis, na cidade de Ribeirão Preto, provocou uma avalanche de discussões nas redes sociais.

O Portal Liberal publicou a informação e o assunto gerou rapidamente muitos comentários.

A maioria absoluta dos internautas mostra indignação e inconformismo com a ditadura do corpo perfeito e a falta de consciência de algumas pessoas que, para atender as expectativas, se sujeita a procedimentos arriscados.

Outras mensagens são bastante críticas com o fato de um jovem de apenas 18 anos ter de recorrer a uma substância química perigosa e, sempre envolvida em polêmicas, para elevar a autoestima.

Conforme informações da Agência Estado, o hidrogel usado pelo garoto – em sua própria residência – está proibido pela Vigilância Sanitária. O jovem sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.

No ano passado, uma mulher morreu em Goiânia (GO) também após a aplicação de hidrogel.

Entretanto, o caso de maior repercussão nacional aconteceu em 2014, envolvendo a modelo Andressa Urach, que teve de ser internada na UTI (unidade de terapia intensiva) e, por pouco, não sofreu uma amputação da perna.

Os perigos
– O hidrogel uma vez aplicado não pode mais ser retirado do corpo;
– Usar o hidrogel para aumentar e preencher o volume corporal, feito de forma clandestina, aumenta os riscos de efeitos colaterais;
– Em entrevista ao caderno teen, no ano passado, para comentar o caso da modelo Andressa Urach, o cirurgião plástico da Unesp (Universidade Estadual Paulista) em Botucatu, Aristides Augusto Palhares, disse que o procedimento pode causar infecções, se injetado dentro de um vaso sanguíneo.
– O produto pode migrar para extremidades provocando perda de fluxo para o pulmão ou para o cérebro, causando embolia e até a morte.
– As complicações podem ocorrer com outros tipos de produtos aplicados no corpo sem critérios.

Confira o que rolou na internet:
“Mais um que morre de forma banal devido a futilidade humana.”
Michel Campos

“Nossa… que maluquice…”
Dolly da Silva

“Quem procura acha. Isso e coisa de se fazer? Depois me criticam quando falo que não tenho dó. Se essas pessoas não pensam nas suas famílias, na sua mãe, quem vai pensar?
Kelly Briato

“Mas será que ele não entendia que nem todos seres humanos nascem para serem bonitos, altos…”
Fernando Jose

“Afff, quanta imbecilidade!!! Morte banal.”
Sol Fernandez Nobre

“É o fim do mundo mesmo!!!”
Thais Lima Heverton Cayres

“Mas um frustrado sexual.”
Stefano Aloisi

“Deveria ter hidrogel no cérebro também.”
Jeaneslei Saldanha

“Nossa pra que isso, gente?”
Fernanda Gobbo

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora