Dieta 'mais gostosa', Low Carb é aliada na perda de peso

Apesar da redução do consumo de carboidratos, cardápio aumenta a sensação de saciedade e diminui a produção de insulina


Foto: Divulgação
Sentir fome e vontade de ingerir alimentos atrativos ao paladar são os dois principais entraves à persistência

Um dos maiores desafios de quem se propõe a entrar em uma dieta em busca do emagrecimento é conseguir perseverar no cardápio restritivo. Sentir fome e vontade de ingerir alimentos atrativos ao paladar são os dois principais entraves à persistência. Nesse sentido, a dieta Low Carb pode ser uma boa alternativa na perda de peso. Ela é conhecida nos consultórios de nutricionistas como a dieta mais gostosa e com maior adesão entre os pacientes.

Basicamente consiste na redução do consumo de carboidratos. Isso inclui, por exemplo, alimentos básicos do cotidiano do brasileiro, como arroz, macarrão e pão. Contudo, ao contrário do que pode parecer à primeira vista, o paciente não vai sofrer por conta da fome.

A lógica é que a dieta vai inserir outros tipos de alimentos para suprir o cardápio. Geralmente, alimentos ricos em gordura boa vão ganhar espaço, assim como proteínas. Essa variação tem um efeito de aumentar a sensação de saciedade.

“Se eu almoço macarrão, por exemplo, passo o domingo inteiro com fome. Já se como um churrasco, acabo não jantando. Essa estratégia traz muita saciedade para o paciente, e alguns ficam bem com uma ou duas refeições por dia”, explicou a nutricionista Fernanda Furlan, pós-graduada em Nutrição Funcional e Esportiva.

GORDURA. A profissional alerta que a Low Carb não é, simplesmente, comer bacon, queijo e ovo, como muita gente pensa. É necessário, assim como em qualquer dieta, uma mudança de comportamento. É justamente essa alteração que vai determinar quanto peso o paciente vai perder.

Fernanda disse que o emagrecimento vai mudar de pessoa para pessoa, podendo variar entre 10 quilos em um mês ou algumas gramas. Contudo, a média para esse tipo de dieta vai de três a cinco quilos mensais, segundo ela.

INDICAÇÃO. Endocrinologista, metabologista e nutrólogo, José Marcelo Natividade disse que essa dieta é indicada para pessoas que estejam em busca de uma reeducação alimentar e que queiram estimular a queima de energia. Ele destacou a importância de consumir proteína e gorduras de boa qualidade.

“Ela não está indicada para pacientes cardiopatas, renais crônicos, diabéticos atletas e indivíduos praticamente de atividade física intensa. Nesse caso, devem consultar seus médicos e nutricionistas”, orientou.

Low Carb reduz produção de insulina

Pense em uma sala que recebe muitas visitas que deixam sujeira e bagunça atrás de si. Ela com certeza acaba precisando passar por limpezas frequentes. Agora pense nesse mesmo cômodo recebendo poucas pessoas. Nesse caso, as faxinas serão muito menos pesadas e terão como objetivo principal manter a ordem, ao invés de restabelecê-la.

É mais ou menos essa a lógica entre a produção de insulina e o consumo de carboidrato. Quanto mais o segundo é consumido, mais o organismo precisa produzir o primeiro.

A insulina tem efeito direto sobre algumas doenças, como diabetes, hipertensão, colesterol alto, triglicerídeos, ácido úrico, ovários policísticos e até mesmo alguns tipos de câncer.

A nutricionista Fernanda Furlan explicou que a Low Carb é uma forma de estimular o organismo a naturalmente reduzir a produção dessa substância. “Essas doenças são tratadas com a redução da insulina. Tem alguns casos que o paciente precisa tomar medicamento, só a dieta não vai resolver. Mas é como pensar que tem menos gente usando a minha sala, vou precisar limpar menos”, comparou a profissional. M.Z.

ALIMENTOS PROIBIDOS

  • Açúcar: refrigerantes, sucos de fruta, adoçantes, doces, sorvetes, bolos e biscoitos;
  • Cereais, como trigo, cevada ou centeio, além de pão, biscoitos, salgados, torradas;
  • Gorduras trans: batata frita embalada, comida pronta congelada, margarinas;
  • Carnes processadas: presunto, peito de peru, salsicha, linguiça, salame, mortadela, bacon;
  • Outros: arroz branco, macarrão branco, farofa, tapioca e cuscuz.

PERMITIDOS COM MODERAÇÃO

  • Pão integral;
  • Grãos: arroz integral, macarrão integral, milho, feijão, lentilha, grão-de-bico;
  • Leite e iogurte;
  • Tubérculos: batata, batata doce, inhame, aipim e macaxeira.

Fonte: www.tuasaude.com/dieta-low-carb

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora