Queixas contra Ouro Verde são maiores do que todo ano passado

As reclamações feitas pelos usuários do transporte metropolitano em relação à prestação do serviço da Viação […]


As reclamações feitas pelos usuários do transporte metropolitano em relação à prestação do serviço da Viação Ouro Verde registradas até 11 de junho deste ano já superam o total de 2017, de acordo com a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos). Os dados apontam maior insatisfação da população, que há duas semanas tem sido prejudicada por testes não autorizados realizados pela concessionária nas linhas que ligam Americana a Santa Bárbara d’Oeste, Nova Odessa e Sumaré.

Conforme levantamento solicitado pelo LIBERAL, em menos de seis meses de 2018 a EMTU recebeu 254 reclamações de usuários. Nos 12 meses do ano passado foram 237. Apesar desse aumento no número de relatos de problemas feitos pelos passageiros, as autuações feitas pela autarquia estadual apresentaram diminuição proporcionalmente, já que foram 751 em 2017, contra 236 de janeiro a 11 de janeiro de 2018.

Ainda de acordo com as informações da EMTU, cerca de 60% das reclamações observadas pela Ouvidoria da EMTU são relativas aos horários não cumpridos pelas linhas. Em nota, a autarquia afirmou que a “inobservância dos horários é causada, normalmente, por congestionamentos constantes em vias importantes de passagem entre os municípios da RMC, como ocorre com a Via Anhanguera nos dois sentidos de viagens”.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Maior reclamação dos usuários do transporte metropolitano é que concessionária não cumpre seus horários e isso causa transtorno

Nas últimas semanas, entretanto, a inobservância dos horários ocorre intencionalmente e às claras, sob a alegação de que a Ouro Verde está fazendo testes – que ainda devem durar mais 15 dias – para adequar as linhas e equilibrar o contrato, diante da crise econômica. A empresa alega que perdeu passageiros e que quer evitar linhas ociosas.

Enquanto isso, a EMTU tem informado ao LIBERAL que notificou e autuou a empresa para que cumpra adequadamente a tabela horária. Essas autuações, entretanto, parecem não surtir efeito, uma vez que a empresa persiste nos testes.

Com a manutenção dos testes, persistem também os relatos de usuários enfrentando ônibus lotados, uma vez que o número de coletivos foi reduzido em pelo menos cinco linhas entre as vizinhas de Americana. O motorista Adriano Silva, por exemplo, mora em Santa Bárbara d’Oeste e tem enfrentado problemas na linha 621, que vai até Americana.

“No ponto em frente ao posto do Santa Rita, às 7h10, ele passa, não dá para subir. Chega ali, está lotado. Antes eram dois ônibus seguidos, e já lotavam. Aí tiraram um. Depois das 7 horas, ônibus somente às 8 horas. É um desespero, todo mundo quer entrar, porque se perder a pessoa se atrasa para o trabalho”, relatou. Sobre essa linha, a Ouro Verde informou que nesta quarta-feira um dos coletivos será articulado para aumentar a capacidade.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora