Adolescente lança livro de terror

Aos 15 anos, Ana Beatriz Brandão, lança seu 2º livro de terror e já é considerada uma das promessas da literatura fantástica brasileira


Escrever um livro não é para qualquer um. Escrever dois e ganhar destaque no cenário nacional no gênero fantástico então, nem se fale. A façanha é da paulistana Ana Beatriz Brandão que, aos 15 anos, lança seu segundo livro de terror, “Caçadores de Almas – Segredos e Maldições” (Ed. Novo Século). Exatamente, terror! E ela viajou… tanto que criou um dicionário da língua demoníaca para o leitor entender o diálogo entre alguns personagens do livro.

Entre rituais satânicos, possessões, exorcismos e um pouco de romance, “Caçadores de Almas” relata a trama dos Angeli, uma seita secreta que luta para conseguir a chave para abrir o portal entre a terra e o inferno.

Foto: Divulgação
Aos 15 anos, Ana Beatriz lança 2º livro
Os caçadores são os únicos que podem impedi-los, liderados pelo amaldiçoado Dorian, responsável pelo resgate de Serene, oferecida em um ritual de magia negra. Juntos, eles descobrem que o inimigo está mais perto do que se imagina.

Este é o segundo livro publicado de Ana Beatriz – seu primeiro foi “Sombra de um Anjo”, lançado em maio de 2014 – e já adianta: Segredos e Maldições é apenas o primeiro da trilogia dos Caçadores. Para matar a curiosidade, o teen! bateu um papo com a jovem prodígio. Confere aí:

Quando começou a escrever?
ANA BEATRIZ. Há dois anos, quando tive um sonho durante uma viagem e acabei pensando nele até voltar para casa. Quando voltei, perguntei à minha mãe o que ela achava de eu escrever um conto sobre ele, e ela me apoiou. Mas o conto acabou virando um livro, o “Sombra de um Anjo” [o 1º publicado] que, na verdade, foi o quinto livro que escrevi.

Por que terror?
Me desafiei a escrever sobre todos os gêneros e, depois de passar por romance, ação, comédia, etc, decidi que tinha chegado a hora de escrever um livro de terror. E assim foi com o “Caçadores de Almas”, meu décimo primeiro livro escrito e o segundo publicado.

O que te cativa no gênero?
Todo o mistério que as cenas de terror envolvem; o clima… Mas a melhor parte é tentar fazer com que o leitor se veja dentro da cena e consiga sentir o medo que a personagem está sentindo no momento.

O que você acha que atrai os jovens para teus livros?
Acho que o fato de eu ter 15 anos atrai muito a atenção de leitores mais jovens porque isso os fazem ter curiosidade sobre a forma como escrevo e como conduzo a história.

De onde veio a inspiração para escrever “Caçadores de Almas”?
De uma música [Through The Trees, de Low Shoulder]. Isso acontece bastante comigo. Acho que 95% das histórias que escrevi vieram de ideias que eu tive enquanto escutava alguma música.

O livro ainda tem uma pitada de romance. Acredita que esse ingrediente seja essencial para uma boa história?
Acho que sim. Quase todo mundo gosta de, pelo menos, um pouco de romance. É o que complementa a história. Se você quer escrever sobre a vida de alguém, de um ser humano, tem que mostrar todos os sentimentos pelo menos uma vez. Todos se sentem tristes, todos sentem raiva, felicidade… E todo mundo se apaixona, pelo menos uma vez.

No Brasil ainda há espaço para histórias de terror e seres fantásticos ou a “onda” está passando?
Ainda há espaço sim! E muito! Para mim, seres fantásticos e histórias de terror são coisas que nunca sairão de moda, porque sempre há uma novidade que pode atrair a atenção das pessoas.

Daqui a 10 anos, se vê como escritora do gênero de terror ou pretende migrar para outro gênero?
Eu posso migrar. Eu gosto de me desafiar e tentar escrever cada livro voltado para um gênero e acho que isso não vai mudar tão cedo.

Caçadores de Almas – Segredos e Maldições
Editora Novo Século
R$ 29,90
www.anabeatrizbrandao.com.br/

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora