Área de igreja entra na mira da Prefeitura de Nova Odessa

Administração em Nova Odessa tenta reaver terreno que havia sido doado


Apelando para a Justiça, a Prefeitura de Nova Odessa quer que uma igreja pentecostal no Jardim Alvorada desocupe imediatamente um terreno público de mais de 1,7 mil metros quadrados. Pedindo reintegração de posse, o Executivo alega que o templo, onde hoje funciona a Família da Fé Church, foi construído sem autorização oficial. O pastor que intermediou a construção, por sua vez, garante que recebeu a doação verbal do terreno por parte de um ex-prefeito da cidade.

O impasse foi parar na Justiça esta semana após um processo administrativo ser aberto em 2013. Depois de procurar registros da doação do terreno, a prefeitura iniciou uma série de notificações ao pastor João Armando de Carvalho, que até então respondia pela Igreja Pentecostal Deus Proverá.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Pastor de antiga igreja que ocupava o local alegou que terreno foi doação

O pastor respondeu apenas uma vez os avisos da prefeitura, informando que não possui registro oficial da doação e solicitando que a gestão fizesse, então, a cessão oficial do terreno. De lá para cá, a prefeitura ainda questionou quais projetos sociais em prol da comunidade são desenvolvidos dentro do templo para tentar justificar a doação. Sem respostas há quatro anos, o Executivo agora quer a desocupação judicial do espaço.

Procurado pelo LIBERAL, o pastor Carvalho não retornou o contato feito. A esposa dele afirmou por telefone, no entanto, que ele não conduz mais os trabalhos na igreja. A sede da Família da Fé Church, em Campinas também foi contatada pelo LIBERAL na tarde desta terça-feira, mas ninguém atendeu aos telefonemas.

Em nota a administração municipal informou que intensificou as ações de fiscalização para buscar situações como a da igreja. “Importante ressaltar que os critérios para cessão de direito de áreas são definidos de acordo com o tipo de assistência prestada aos cidadãos, mas sempre dentro do que rege a legislação municipal e obedecendo todo trâmite e documentação necessária”, explicou a prefeitura, por meio da assessoria de imprensa.

Segundo a administração, apesar da cobrança da devolução da área, não há destinação definida para o terreno ocupado pela igreja.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora