Sem professora substituta, Casa da Criança Curió libera alunos

Devido à ausência de quatro profissionais, diretora da unidade teve de assumir sala para contornar atendimento


Apesar da proibição expressa da secretária de Educação de Americana, Juçara Florian, alunos da Casa da Criança Curió, localizada no Antônio Zanaga, tiveram que ser liberadas para os pais na manhã desta quarta-feira por conta da falta de uma professora. Das 27 crianças da sala do maternal, nove foram buscadas pelos familiares, enquanto as outras passaram a manhã sob os cuidados da diretora Maria Aparecida Antoniassi Beraldo.

De acordo com informações da Secretaria de Educação, a Casa da Criança Curió havia solicitado quatro professoras para substituir faltas programadas para a manhã desta quarta-feira. Houve a programação de quatro auxiliares para a unidade, entretanto, uma das delas precisou permanecer na Casa da Criança Urupê, no mesmo bairro, por conta de outra ausência de última hora. Com isso, foram para a Casa da Criança Curió três auxiliares, fazendo com que a diretora precisasse assumir a sala de crianças de 2 e 3 anos.

Foto: Reprodução
 Postagem no Facebook de uma mãe mostra diretora com algumas crianças no parque infantil

“Infelizmente, a professora que iria que substituir na Curió acabou ficando em sua escola cobrindo outra falta não programada. E às 7 horas é mais complicado arrumar substituta”, disse por meio de nota o secretário adjunto da Educação, Perci Moreira.

A diretora relatou que não restou opção senão acionar os familiares do grupo de crianças mais novas. “Eu fiz uma opção, pedi para uma mãe que é do Conselho da Escola ligar para os pais do grupo das crianças menores, porque a secretária também faltou. Nove famílias vieram buscar, porque algumas crianças precisam trocar fralda. Aí fiquei com as crianças maiores. Três das menores ficaram”, relatou a diretora. Uma mãe fez a postagem no seu Facebook relatando o problema.

Conforme mostrou o LIBERAL nesta quarta-feira, em março do ano passado, a secretária Juçara Pastorelli Noveli Florian enviou um e-mail para diretores de escolas municipais em março do ano passado, em que proibia a dispensa de alunos e dizia que os responsáveis por unidades onde isso acontecesse seriam responsabilizados administrativamente.

O episódio desta quarta contraria essa orientação. A reportagem entrou em contato com a secretária nesta quarta por telefone, mas ela não comentou o caso, solicitando que o LIBERAL entrasse em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura.

A situação de faltas de professores – a média é de 35 por dia em Americana – será alvo de discussão, além de outros assuntos, de uma reunião marcada para esta quinta-feira entre diretores de escolas, a secretária e o prefeito Omar Najar (MDB). O encontro foi solicitado por um grupo de diretoras.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora