Líder do governo diz que Omar quer período de tolerância na Área Azul

De acordo com Peol, esse é um dos motivos pelo qual as multas ainda não foram aplicadas na Área Azul; pedido já foi feito à Estapar


Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Já existe uma lei (4.255/05) que prevê que multas só podem ser aplicadas a quem “esgotar o prazo de 20 minutos de tolerância de sua efetiva estadia.”

O líder do governo na Câmara de Americana, Pedro Peol (PV), afirmou que o prefeito Omar Najar (MDB) quer que a nova Área Azul tenha período de tolerância e que já pediu isso à empresa Estapar, que ganhou licitação para administrar o estacionamento rotativo. De acordo com Peol, esse é um dos motivos pelo qual as multas ainda não foram aplicadas na Área Azul. O líder de Omar na Casa de Leis disse ter obtido a informação com o secretário adjunto de Obras e autoridade de Trânsito, Eraldo Camargo.

Já existe uma lei (4.255/05) que prevê que multas só podem ser aplicadas a quem “esgotar o prazo de 20 minutos de tolerância de sua efetiva estadia.”

O LIBERAL quer saber sua opinião sobre o nosso portal. Acesse o questionário online e nos ajude a melhorar. CLIQUE AQUI PARA RESPONDER A PESQUISA.

A Estapar informou em fevereiro que não havia tempo de tolerância para estacionar sem pagar – apenas um período de 20 minutos para que o motorista pudesse pagar sua estadia nos totens de autoatendimento (chamado de parquímetros) ou pelo aplicativo de celular. Peol diz que não sabe exatamente qual o tempo de tolerância será instituído, mas garantiu que é uma exigência da administração Omar.

“Mas também, hoje indiferente de ter 15 ou 20 [minutos], não foi autuado nenhum veículo até agora. Até porque essa é uma das adequações que o prefeito Omar quer que seja feito, a tolerância, e ainda aumentar o número de vagas de idosos”, afirmou.

Segundo o vereador que representa o governo na câmara, o prefeito também quer que as vagas para idosos sejam distribuídas da melhor forma, já que algumas estão longe dos principais pontos de acesso a prédios com grande frequência de público.

Questionada se a lei 4.255/2005 está sendo observada para o registro de eventuais infrações, a prefeitura não respondeu. O LIBERAL também tinha perguntado à assessoria de imprensa se as multas já começaram a ser aplicadas, mas não houve resposta. – no dia 20, a prefeitura informou que até então não houvera autuações.

A reportagem não conseguiu falar com Eraldo Camargo. De acordo com o vereador, a tolerância é praxe em outros municípios. “Pode ter certeza que nós, junto com o prefeito, vamos cobrar da empresa sim’, disse Peol.

Questionada sobre as afirmações e se está observando a lei 4.255, a Estapar informou que “não recebeu informações sobre o item questionado. Destaca que segue a licitação.”

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora