Dona de casa reclama de dificuldades por consulta

Paciente transplantada, Luzia Prates Pereira já esteve duas vezes na UBS do Pq Gramado este ano para consulta marcada, mas ambas foram reagendas


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Luzia não consegue ser atendida na UBS do Parque Gramado ela já passou por transplante de medula, retirou o útero e tem problemas na visão

A dona de casa Luzia Prates Pereira, de 50 anos, reclama da dificuldade em conseguir uma consulta médica na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Pq. Gramado, em Americana. Desde o início do ano, ela teve dois agendamentos, mas não conseguiu atendimento em nenhum deles.

Ela tinha um terceiro agendamento para 30 de maio, mas após a reportagem questionar a prefeitura sobre a demora e os desencontros nas duas consultas anteriores, a paciente recebeu uma ligação encaixando o atendimento para 11 de abril.

O LIBERAL quer saber sua opinião sobre o nosso portal. Acesse o questionário online e nos ajude a melhorar. CLIQUE AQUI PARA RESPONDER A PESQUISA.

Luzia tinha uma consulta agendada para o dia 25 de janeiro, às 13 horas. Ao chegar no horário marcado, foi informada que a médica esteve disponível para atendê-la apenas às 7 horas. Em seu cartão o horário da consulta foi marcado à tarde, mas no sistema constava de manhã. O atendimento foi então remarcado para 28 de março.

Ao chegar no posto de saúde nesta quinta-feira, foi informada que a médica saiu da unidade. As atendentes disseram que entraram em contato para avisá-la, mas Luzia afirma que não recebeu nenhuma ligação.

O quadro de saúde de Luzia inspira cuidados, pois ela já passou por um transplante de medula e, no final do ano passado, retirou o útero em função de um mioma. “Liguei na Secretaria de Saúde para reclamar porque não posso esperar. Tenho que fazer exame de plaquetas, ver se está baixa, tem que estar sempre controlando”, afirmou Luzia.

A dona de casa também está preocupada pois precisa da receita de dois medicamentos para depressão e também de encaminhamento com oftalmologista – ela já perdeu a visão do olho esquerdo e percebeu que a do direito está piorando.

A Secretaria de Saúde foi questionada sobre as duas ocasiões em que a dona de casa não conseguiu atendimento, bem como se já estava previsto adiantar a data da consulta antes de ser procurada pela reportagem, mas não respondeu. O município também não se posicionou sobre a possível saída de mais uma médica da rede.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora